sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Tia Neiva - Ensinamentos


Ouve a voz que te rege no cumprimento desta missão, deste Terceiro Sétimo, porque, filho, o teu sacerdócio exige que sejas o talismã da vida, o medianeiro de todas as forças. Filho querido, não deves temer as grandes revelações, os abismos que vão se abrir, descortinando seres que, arremessados pela sua força, se extrairão da terra em busca de amor. Verás, filho, lindos fluxos de luz que, também, extraídos de tua energia, virão trazer-te a cura para a tua evolução. Somente com a conduta moral doutrinária, do teu sol interior poderás emitir todo o bem na luz deste Amanhecer. Felicidades, filho, neste Terceiro Sétimo. Filho Jaguar, das minhas esperanças! Roga a Deus o teu Pai Seta Branca, em Cristo Jesus!”
Pai Seta Branca – 29/12/1978

Eu não peço disciplina, porém, harmonia e dedicação do Espírito Espartano, que sabe marchar para a Vida e para a Morte com o mesmo esclarecimento do espírito da Verdade. Sim, filho, um trabalho bem dirigido na individualidade de uma conduta doutrinária. nos dá a certeza do fenômeno da cura ou do progresso material na individualidade e na vida física. O chakra da Vida exige o equilíbrio da matéria. Sendo assim, nossos Mentores se preocupam com nossas profissões e negócios, na medida do possível.”
Tia Neiva – 28/03/1979

E para que possamos condenar sem precipitação, o teu comportamento é o único sentimento a ser julgado. Você, filho Jaguar, RAIO LUNAR, é a própria revelação. Sim, muitas vezes, um aparelho em sua conduta moral agasalha um espírito das Trevas, dando-lhe a oportunidade de ser gente, isto é segurando suas terríveis e pesadas vibrações e, com amor, o deixa falar ou promover um diálogo com o Doutrinador. Filho, muitas vezes, eu, tua mãe clarividente, vejo muitas oportunidades perdidas: um feroz exu que, por falta de um diálogo, poderia voltar para Deus. No entanto, só diz heresias por falta do bom comportamento do sensitivo. Filho, todos nós precisamos de carinho e, eles, apesar do seu endurecimento, são carentes de amor. Eis a razão do Doutrinador, em Cristo Jesus, sabendo conduzir o anjo e o demônio em sua conduta doutrinária. É assim, filho, um aparelho sensitivo espiritual pelo qual as forças extra-sensoriais se manifestam. Por conseguinte, você é o próprio poder da Justiça, se engrandece ou se condena. Sim, a consciência fecha o ciclo evolutivo da força psíquica sensitiva. Então, filho, com um pouco de reflexo poderá concluir as mensagens e se souber colocar esta candeia viva nos mais tristes recantos da dor, mais uma vez poderá aliviar e esclarecer os incompreendidos.”
Tia Neiva – 08/04/1979

É muito sério nossa conduta doutrinária no Templo. Muitas vezes buscamos a caridade dos espíritos e os magoamos antes, não lhes dando tempo para reajustar-se em nós, por falta de nossa conduta doutrinária!”
Tia Neiva

Ser honesto, em todos os sentidos. Não se esqueça de que, por mais escondido que esteja, sua sombra poderá ser vista. Eis porque, meu filho, as dificuldades do Homem quando precisa caminhar, mesmo sendo por curtas passagens, pelas sombras!”
Tia Neiva – 24/05/1980

Visando o Vale do Amanhecer, tenho um sério compromisso de não aceitar, absolutamente, homens ou mulheres de shorts na rua ou em lugares iniciáticos. Considero o nosso Vale do Amanhecer um recanto iniciático. Um jovem indo para o seu esporte… mas que não entre no Templo. Compreendo, porém não queira teimar comigo. Talvez, fisicamente, não irei importuná-los, porém não ficará bom. Não falo em conduta doutrinária. Falo da impressão que nos causa uma mulher missionária ou um mestre em trajes não condizentes com a Doutrina.”
Tia Neiva – Circular n.º 2/83 – de 14/01/1983

É preciso saber que aqui temos um roteiro de nossas vidas. Filhos, ensinei a vocês o conhecimento que temos de uma bagagem quando em nossas passagens aqui na Terra, bagagem esta que não lhes dá o direito de errar em seus caminhos espirituais. Sinto dizer a vocês que não é tão fácil uma conduta doutrinária sem erros. Sempre lhes falei que a conduta doutrinária é o caminho para a sua Hierarquia Transcendental!”
Tia Neiva – 17/05/1984

Na força absoluta deste Universo há lírios que se decantam em cada canto e, como se ouvissem Deus, num amor absoluto, desabrocham e começam a vibrar, alimentando os olhares, curando na Impregnação de seu lugar. O seu aroma se esvai aos demais e a brancura, no verde lodo, o faz mais perfeito, mais lindo, chegando, mesmo, a quem o colhe se perfumar. E o lodo é deixado, porque nele outros lírios nascerão!… Por que não faz o Homem como o lírio, simplificando a vida, amando e se fazendo saudade por onde passa? Sim, meus filhos, pois as dificuldades da vida não são pelas intempéries do tempo, nem tão pouco pelos amores que se avizinham. Não são pelos nossos conflitos, e, sim, pela vã tolerância, pela incapacidade de poder assimilar a diferença entre o Bem e o Mal; a falta de consideração em não se encontrar consigo mesmo; saber com quem deverá viver, como viver; enfim, ser honesto consigo mesmo para clarear a sua estrada sem se debater, incomodando os demais, fazendo dos seus familiares um rosário de dor!”

Tia Neiva – Mensagem Aluxã – Amanhecer em Pirapora
O Adjunto tem por obrigação registrar em sua Lei um Retiro, que seja evangelizado e comandado por ele mesmo, pelo menos uma vez por mês, razão pela qual um Adjunto é um médium perfeito. Para ser perfeito, é preciso conhecer a Lei do Auxílio em todos os ângulos, pois o mestre que não comanda o seu Retiro perde a seqüência de sua sintonia direta. O mestre não pode se ausentar das constantes sintonias diversas, como também, sendo um Adjunto, torna-se um mau exemplo para um componente. O Adjunto tem que ser completo em todos os setores. Apesar de suas obrigações nos trabalhos, deve escolher um dia para realizar o seu Retiro. Filhos, hierarquia foi do que avisei! Somente o Adjunto pode remover seus mestres e promover eventos, ou, sabe Deus, o que lhe convém. Em iminência de fatos contrários à Doutrina, princípios sociais do Templo ou na conduta doutrinária, os Trinos Presidentes estão autorizados por mim, na figura de Koatay 108, a impedir ou mudar uma ordem de um mestre Adjunto.”
Tia Neiva

Não me contem nada
Não me contem, não venham me contar os desatinos dos mestres! Não venham me contar que um mestre bebeu;
que um mestre fez trabalhos (em outras linhas); que um mestre deixou a família; que um mestre fez isso ou
aquilo... Não venham me contar! Não gosto de saber! Eu sou como uma mãe que recebe reclamações de um filho.
Não venham me contar porque, além de eu não ter nada com a vida particular do médium, acho que, também, quem me conta, muito menos. Salve Deus! Não me contem que eu não gosto de saber! Se o mestre está errado para você, 'que está me contando, ele não está errado para mim, e às vezes você entra em conflito comigo. Vamos cuidar
de nossa vida, pois temos grandes fenômenos a realizar!” (Tia Neiva, 27.6.76)


TIA NEIVA
Filho, tudo o que estamos fazendo é levar a mensagem do III Milênio por todo este universo, nas indumentárias, no comportamento desta conduta doutrinária...
Dez anos vivemos de amor e luz. Porém, os impactos que a minha clarividência ocasionava não bastavam. Veio, então, a vida iniciática, com suas cores berrantes e seus poderes. E, assim, nos foi proporcionada a oportunidade de exibirmos a obra ao seu autor, junto a povos.
As vibrações foram tomando lugar em toda a Doutrina, nas cores, no Templo e, por fim, na Estrela Candente, essa grandeza que emite, de suas amacês, a energia do Jaguar, para a cura desobsessiva dos cegos, dos mudos e dos incompreendidos. As vibrações aumentaram sem que, por um minuto sequer, saíssemos do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo Jesus em sua caminhada evangélica iniciática, o Caminheiro, sem dor e sem sofrimento, ensinando a cura desobsessiva, colocando os espíritos a caminho de Deus Pai Todo Poderoso.
Não podemos garantir que tudo aqui aconteça, nem que possa acontecer. Porém, acontecerá alguma mudança estrutural e benéfica nos rumos do pensamento humano, abalando os alicerces da cultura ancestral que consolidou a Velha Estrada.
Filho, não interessa, ao Homem, o seu vizinho. Interessa, sim, a função que ele desempenha. É verdade que não podemos separar a obra do seu autor, mas, quando eu daqui partir, dirão: O Doutrinador e a sua Doutrina! Por conseguinte, filho, esqueça essas pequenas preocupações de avaliação social, em termos dos componentes já ativos nesta jornada doutrinária para o III Milênio.
Antes, eu pensava: por que as amacês não aparecem nos grandes centros? Tive a minha resposta: pelo respeito às velhas teorias, pois ainda é cedo para mudar as estruturas.
A vida não perdoa, filho! Morreremos pelos caminhos, se não nos conscientizarmos, se não soubermos, com precisão, aquilo que nos pertence. Ver e viver, antes que os sinais da angústia o obriguem, oferecendo novos olhos e novas perspectivas, complicando, no entendimento de novas ciências, o que é mais simples: amor e Deus – essa verdade eterna!
Por que foi escolhido o Jaguar, o Espírito Espartano, o Cavaleiro Verde, o Cavaleiro Especial? Porque vem de um processo penoso, por sua mente científica, evoluindo na luta através dos séculos, neste mesmo solo... Hoje, sua percepção lhe afirma , filho, que os tempos chegaram e não há mais como desperdiçá-lo com polêmicas.
Vocês têm a sensibilidade do Homem Iniciado, que descansa apesar da grandeza da luta, e é acariciado pela grandiosidade da energia trazida pelo prana, para retirar seu psiquismo particular e responder às perguntas que surgem do fundo de seu coração.
Esse Homem é fácil de encontrar. É grosseiro e sagaz, sim, porque vem das cordilheiras e da península espartana, porém, não suporta ver alguém sofrer, sai, aflito, a socorrer todos... É amável, requintadamente afetuoso, sensível às dificuldades de povos. Sempre estende sua mão forte e corajosa para a missão maior, e seu amor é expontâneo. Caminha sem superstições e sem falsos preconceitos. Quando é um Jaguar, ama verdadeiramente a Doutrina e a faz seu sacerdócio; acredita na vida e sabe se promover. É boêmio e sua mente é limpa de qualquer crença que não seja autêntica consigo mesmo... Sabe que a última grande iniciação da humanidade ocorreu pela aparente espontaneidade, unificando e aproximando o Homem de sua individualização e que, por todo o universo, o Homem está sendo sacudido no fundo de seu ser, de maneira autêntica e poderosa.




Enviar um comentário