sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

O meu Sol Interior


O Sol Interior

São fáceis os contatos físicos no plano físico quando não temos muita terra no coração! Porém, com o coração pesado, só encontramos a dor, a angústia do espírito conturbado pela subdivisão dos três sistemas do seu reino coronário, porque a tua alma, divina, exige o teu bom comportamento.”
Tia Neiva – 04/09/1977
Todos nós temos um Sol Interior, cuja evolução está na dependência de nossos pensamentos. O desenvolvimento desse Sol se faz pela Lei do Auxílio, objetivando o bem acima de tudo, manipulando a energia de forma a completar o ciclo iniciático nos três reinos de nossa natureza. Para isso, é necessário o equilíbrio físico e moral, individualizando-nos na perfeita sintonia com Deus, para que a força da inteligência se torne perceptível por sua expressão vibratória, e, por fim, aprendendo a movimentar os poderes de nosso Sol Interior.
Centro Coronário – Em nosso íntimo, na região do umbigo, está situado o plexo solar, composto por três esferas, girando uma sobre as outras, formando o Sistema Coronário ou Centro Coronário, centro vital do ser humano, estação emissora e receptora de energias. Essas esferas apresentam intensa vibração, uma no plano físico – plexo físico; outra no plano psíquico – micro-plexo; e a outra no plano etérico – macro-plexo ou plexo etérico. Tudo depende de aprendermos harmonizar estes três reinos de nossa natureza.
Temos, assim, três planos vibratórios diferentes, cada um regido por suas leis, embora dentro de relativa autonomia. Os três planos se relacionam entre si, formando uma unidade composta de três elementos diferenciados, constituindo-se, sob o ponto de vista iniciático, no mistério do Trino, Tríade ou Trindade.
Essas esferas não são físicas, isto é, não se compõe de qualquer substância palpável ou de tecido.
Do Centro Coronário partem sete raios de energia, sete forças que se distribuem pelo organismo humano. Cada raio termina num determinado ponto do corpo, formando um centro de emissão e recepção de energias - os Chakras. Através dos chakras é que se recebem as energias do mundo espiritual e que transmitem os anseios da alma. Para nós, no momento, basta conhecermos dois chakras: o Coronário – da parte superior da cabeça, que alimenta a Força do Doutrinador; e o Umbilical, no plexo solar (umbigo), que alimenta a Força do Apará.
Tanto o Centro Coronário como os chakras repousam no plano físico, sobre o sistema nervoso. Assim, no plano físico, temos o plexo solar e os vários plexos; no plano etérico do corpo, temos o Centro Coronário e os chakras – o mesmo sistema em dois planos diferentes.
É no Centro Coronário que se originam as manifestações e os registros que calcam a sensibilidade e envolvem no físico sua atuação passada que, refletida no presente, forma a ação da Lei de Causa e Efeito – o Carma. Na manipulação das energias, o Centro Coronário emana fluidicamente a alma, alimentando-a com irradiações energéticas, estimulando, vitalizando, gerando o Bem e o Mal, marcando o próprio homem com as conseqüências felizes ou infelizes de seus atos.
A condensação das energias produz magnetismo, e pode ser atraída ou repelida, conforme a carga das forças manifestadas. Essa carga pode ser de três naturezas: positiva (formada por partículas positivas – Anion), neutra (formada pelo Nêutron) e negativa (Cátion). E, conforme a movimentação, recebe o nome de Centrífuga a força que parte de nós para o exterior, e Centrípeta a que vem de fora para nós.
A natureza positiva ou negativa da carga é em razão de sua polaridade, e não no sentido comumente usado. Assim, temos o pólo positivo – o Sol, gerando anions, e o pólo negativo – a Lua, gerando cátions. Aprendemos a manipular essas forças e as utilizamos na Lei do Auxílio, corre o risco de adoecer, porque é com seu trabalho e seus sentimentos que alimenta seu sistema nervoso, e essa manipulação de sua energia feita no Centro Coronário era manter o equilíbrio de seus órgãos e realizar curas em seu próprio corpo.
Plexo Físico – O Corpo – O plexo físico é a morada da alma. Por isso, gera o magnético animal, que constitui a força da Terra, a força vital, a força do Jaguar! É na esfera coronária física que as energias pré-existentes na Terra se projetam, sendo assimiladas, transformadas e distribuídas. O corpo é alimentado de duas formas: pelo alimento físico, molecular, que vem através da matéria, penetrando pelos sistemas digestivo e pulmonar; e pelo suprimento energético, que vem do plexo físico através do sistema nervoso, numa fusão de energias da alma e do espírito. É na esfera coronária física que se registram todos os fatos da existência, as heranças genéticas, as resultantes cármicas, as atuações da alma e as elaborações do espírito. Ela depende da compreensão de nós mesmos, de nossas origens, de nossos pensamentos e de nossa inteligência, de como atuamos em nossa vivência. Essa conscientização leva ao máximo o cuidado que devemos ter com nosso corpo.
Micro-Plexo – A Alma – A alma é o microcosmo, ou seja, o princípio ativo, modelador, redutor, que determina o “estar” do espírito na situação de encarnado. É ela que modifica o estado de “ser” do espírito para a situação de “estar” desse mesmo espírito. Ela é a barreira entre os vários planos vibratórios de SER e o mantém na posição planejada, que busca, pesquisa, informa e fornece elementos de decisão para o EU, ao mesmo tempo em que estabelece os limites da movimentação do ser humano.A alma não pode existir sem corpo, seja ele de natureza densa – na superfície da Terra – ou de natureza etérica – nos planos sutis da mesma Terra. A função do micro-plexo é absorver, assimilar e emitir as energias em dois planos: o do espírito e o do corpo, comandando a percepção do ser humano.
Uma alma é fabricada a cada encarnação, da mesma forma que o corpo. O espírito sempre existiu, e é sempre o mesmo em cada encarnação. A alma e o espírito se manifestam em nosso campo consciencional de formas totalmente diferentes, impossíveis de serem confundidas. Enquanto o corpo é limitado no tempo e no espaço, e sai em busca de desejos e da satisfação dos anseios do Homem, emitindo e recebendo vibrações, influenciando e sendo alimentada. Sua mais importante função é receber os eflúvios do plano espiritual e levar a personalidade a agir de acordo com as leis transcendentais.
Quando a alma entra em sintonia com a individualidade é que encontramos nosso destino: entramos, tranqüilos, na aceitação, tanto de nosso carma como de nossa missão, e recebemos os eflúvios celestes que nos elevarão em nossa jornada.
Eis o que disse Tia Neiva sobre a alma:
Deus, criando os espíritos, não poderia lhes dar uma personalidade conscienciosa de si mesmo se não subdividisse sua força, seu plexo. A alma, no seu invólucro, sempre buscando algo, separadamente dos instintos do corpo, que se alimenta do clima atmosférico sólido de outra natureza. A alma dificilmente se realiza com os prazeres da Terra, ou melhor, com os prazeres do corpo físico. Tudo se torna claro, como é claro o que chamamos de MORTE, que é um nascimento em uma nova vida. É porque a alma permanece buscando sua verdadeira moradia, ou sua verdadeira origem, enquanto o corpo físico tem como tendência libertar seu comportamento religioso.”
Não entregues tua alma à fatalidade, que é a verdade infernal, possessão da fatalidade das almas enfraquecidas, sem fé em Deus. Estamos com duas espadas com que podemos nos defender. Filho, o segredo das Ciências Ocultas é o da Natureza mesmo! É o segredo da geração dos Grandes Iniciados e dos mundos de Deus, os grandes talismãs da Vida. A substância criada é chamada ATIVIDADE GERADORA – a manipulação do Fogo na mirra, no sal e no perfume.”
Na vida absoluta do espaço existem todas as formas que consistem o organismo humano. Mas nem sempre se põem em ação. Porém, pela harmonia da corrente magnética do perispírito, que mesmo seguro ao sistema nervoso do corpo emite a alma e se põe em movimento, se atrai e se comunica. No movimento da alma a outras se faz o perigo da volta. Sim, se ela não estivesse presa ao magnético vital nervoso do corpo. Este mesmo processo encontramos na manifestação de uma alma a outra, ou baixando sobre outro corpo que não o seu, porém que emite carga magnética e faz harmonia, quebrando as barreiras do neutrom. Existem muitas formas de manifestação dessas almas - ou reencontros - em planos diferentes, ou manifestação com diferentes magnéticos.”
A alma está ligada ao sistema nervoso do corpo. Não e possível animar o corpo se a alma está ausente. Se sua alma buscar objetivos distante da Doutrina, você não sentirá o calor dessa Doutrina. Em mensagem de 15/01/1981, nossa Mãe advertiu: “Filho, diminua os teus pensamentos e aumente mais os teus afazeres, para que, filho, tua alma atômica, vazia, não atue ao longe do teu objetivo, deixando o teu centro nervoso atravessar as grandes estradas e a grande ponte sozinho e, sozinho, comece a morrer...”
Macro-Plexo – O Plexo Etérico – É a esfera instrumento do espírito atuando no Homem, sobre a alma e através dela. Como não podemos conhecer o espírito em sua essência, ele se reveste de energias, para se tornar perceptível e cognoscível, tomando forma, embora não percebida por nossos sentidos: é a sua roupagem, que denominados Perispírito. O espírito ultrapassa a barreira do neutrom e vai buscar energias para se alimentar e alimentar o Homem. Aprisionado o espírito no perispírito, obedecendo à lei do Carma (Causa e efeito), ele vai passando seus testes e provas, na marcha evolutiva. Embora recebendo sua alimentação energética de seu próprio plano evolutivo, o espírito é influenciado pela alma e pelo corpo. A maneira como ele recebe as decisões da alma é que irão determinar o bom ou mau aproveitamento da situação de encarnado.
Quando reencarna, as provas foram escolhidas por ele e a aprovação ou reprovação de suas provas depende dele, respeitando sempre o seu desejo – o Livre Arbítrio. Na Terra, o espírito percorre sua jornada com seus veículos físico (o corpo) e etérico (o perispírito), e mesmo depois de desencarnado, junto com a alma, forma o corpo etérico, sujeitando-se às leis desses planos. Quando terminar sua jornada, quando não houver mais provas a passar, nem reajustes a resgatar, ele desliga-se desses planos, e se torna um Espírito de Luz.
O espírito do Jaguar tem sua origem em Capela, nosso Planeta-Mãe. Ao encarnar e se submeter às leis da Terra, ele perde seu contato com sua origem, sua fonte de energias, até que conscientize a sua “personalidade” (conjunto corpo-alma) e o espiritualize. O espírito é criativo, permanente buscando sua perfeição, sua elevação, atraindo as energias etéricas e se aprimorando por sua dedicação ao trabalho na Lei do Auxílio.
Por isso, além de sabermos ouvir a voz de nossa personalidade – quando sentimos fome, quando gostamos ou não de alguém – torna-se vital aprendermos a ouvir a voz de nossa individualidade – sintonizarmo-nos com o Universo, entrar em harmonia com os planos superiores. As exigências do corpo e da alma, quando não satisfeitas, causa pequenas dores; mas, quando não atendemos aos reclamos de nosso espírito, mergulhamos numa grande dor, a verdadeira dor.
Sistema Nervoso – É o mecanismo intermediário entre o corpo físico, o mundo externo e o campo consciencional. O campo consciencional é a sede do “Eu”, esse algo individualizado, portador da Centelha Divina. A Centelha Divina é a parte do mecanismo de Homem que lhe possibilita a existência, proporcionando-lhe a reencarnação e a sustentando. Sem ela não existe a ligação entre o espírito, à alma e o corpo.
Espírito – É uma partícula divina, com características próprias e o livre arbítrio para sua trajetória terrena, que lhe dá Individualidade, isto é, diferencia-se de outros por características, objetivos, tendências e preferências que são unicamente seus. Para retornar, para reintegrar-se no Todo Divino, precisa perder essas características, Desindividualizar-se, e por isso é obrigado a adaptar-se ao corpo físico, cujas manifestações se fazem através do processo sensorial de estímulo-resposta, chamado Alma. O conjunto Corpo-Alma forma a Personalidade.
Quantas pessoas encontramos, em nossa jornada, que são vazias, sem ideais, sem vontade de ajudar ao próximo, apegando-se ao que possuem e se entregando ao desespero se perdem algo, ou ficando apáticas, passando pela vida, mergulhados no egoísmo e na cobiça, no apego aos bens materiais, irrealizadas, sem viverem afetivamente. Normalmente essas “personalidades” refletem o que denominamos Espíritos Estacionados ou Espíritos Preguiçosos, que, na maioria dos casos, perdem a grande oportunidade que lhes foi oferecida pela reencarnação.
Em suas jornadas universais, os espíritos seguem uma lei universal que os caracterizam com homens ou mulheres. Só em casos especialíssimos é que há troca de sexo numa reencarnação.
Depois do sono cultural, o espírito é colocado no feto de três meses, e até que aquele ser complete 14 anos existe praticamente a informação do espírito pela manipulação das forças da Terra. A partir dos 14 anos, começa a receber a energia além-Terra, alterando-se as manipulações de seu Sol Interior. Surge uma nova energia, de contacto entre o conjunto psicofísico e o espírito: a Energia Mediúnica. O Eu começa a registrar os fatos de seu espírito com maior nitidez, indo seu aprimoramento até os 21 anos. Então, está apto a ouvir as vozes dos três reinos de sua natureza: a do corpo, a da alma e a do espírito.
Se ele usar a força mediúnica a seu favor, poderá imprimir nova direção ao se destino cármico. Tudo irá depender de como usar as energias de seu espírito. Pelo trabalho na Lei do Auxílio poderá tornar sua vida mais criativa e modificar seu carma, aplainando os buracos e evitando o desastre de desperdiçar sua reencarnação.
Humahã disse a nossa Mãe: “No mais íntimo do ser humano, que é o plexo, existem energias latentes, forças poderosas que não são exploradas senão excepcionalmente. Com a intervenção destas forças podem ser curadas as doenças do corpo e do caráter, digo, doenças físicas e morais...”
E sempre fomos advertidos para o perigo de não ouvirmos a voz de nosso espírito, que pode determinar nossa Morte em Dois Planos e que significa desaparecer eternamente, ser Desintegrado!
Por tudo isso, devemos ter plana consciência dos cuidados que temos que ter com nossos plexos. Cuidar carinhosamente do corpo e refrear os desejos da alma, avivar nossa sensibilidade para que possamos ouvir a voz de nosso espírito, e usar, sempre que possível, nossas energias na Lei do Auxílio, buscando a sintonia com os planos elevados, tentando atingir o Amor Incondicional.
O Passe Magnético alivia o plexo, dele retirando as impregnações pesadas.
Salve Deus!

Enviar um comentário