sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

O poder do fogo

 Salve Deus!
Na doutrina é muito pouco falado sobre as Velas ou até mesmo o Poder do Fogo que envolve este simbolo, abaixo disponibilizamos trecho de uma explicação do Trino Triada Tumarã, Mestre José Carlos, confira: 
Transcrição Ispsis Verbis: Adjunto Aluano Mestre Ayrton Moussalen

O Poder do fogo

Alguns lugares que me chamavam atenção, desde criança, por exemplo, eu com Roma tenho uma ligação, no tempo dos soldadinhos de chumbo, que eu era garoto, tinha uns guerreiros romanos, capacete, coisa…
Eu não tinha soldado nenhum, só tinha guerreiro romano. Depois eu vim saber por que disso tudo!
E a gente vai vendo umas situações muito firmes, e eu gostava muito, por exemplo, de vulcão.
Eu tinha uma certa ligação assim, com fogo, com vulcão, com essas forças assim, e eu pensava assim:
Poxa, aqui nós temos a força da terra, a força das águas, e não temos a força do fogo.”
Um dia eu peguei um Ajanã, ele é muito firme, muito tranquilo, eu disse:
Vamos fazer uma viagem no passado, vamos ver alguma coisa…”
Ele começou a incorporação, daí eu pedi ao Preto Velho dele uma explicação:
Porque que a gente não lidava com fogo, e aqui nós temos vela acesa por todo o lado?”
Só se faz trabalho com vela acesa. As explicações que vão nos dando são as explicações mais vazias que existem.
Aí, o Preto Velho falou:
(Entidade)
- “Vocês trabalham com a força da Deusa Pelé! Como Mãe Yemanjá é da água, a Princesa Pelé é do fogo.”
(José Carlos)
Eu lembrei que no Havaí, a Princesa Pelé é uma grande Deusa! E é a Deusa dos vulcões!
Quando ele incorporou, ele incorporou a Deusa Pelé. Ela falou que tinha ficado muito feliz porque nós fomos ao parque dos vulcões, lá no Havaí.
Ele tem uma corrente de lava que passa, fez como se fosse um túnel, no meio da estrada.
Então é muito interessante essa força do fogo. Também na América Central é Princesa Pelé. Eles têm aquelas tradições todas. E ela me falou:
(Princesa Pelé)
- “Quando você liga, você acende uma vela, você tá portando a minha força. Quando você está colocando a minha força, a gente tá agindo junto com as outras, na harmonia das outras.”
Porque que você vê sempre fogo, fogo, fogo?
A vela é um mantra de força meu.”
(José Carlos)
- “Você não põe um copo d’água, acende a vela… Todo mundo não sabe por que a vela, mas acende a vela.”
(Princesa Pelé)
- “Então é a minha força que vai.”
(José Carlos)
- Então essas forças, como, por exemplo, a gente tem aqui, em Caldas Novas, aquela água que faz tão bem, ela é curadora mesmo, ela faz coisas fantásticas. Por quê?
(Princesa Pelé)
- É a força da água que passa no subsolo, onde tem a minha força, que é a dos vulcões! O subsolo ainda tem energia.
(José Carlos)
- Então mistura as duas, que vão pra aquela água e tem aquele efeito até milagroso, em certos casos. São coisas muito interessantes.
Eu acho que isso a gente precisava desenvolver, a gente precisava ter conhecimento, porque as pessoas fazem tudo automático.
A gente tem que fazer uma saudação…
Vou fazer o Terceiro Sétimo, eu acendo a vela, quando eu acendo uma vela eu sempre faço uma saudação. A vela de sete braços, que é comum, em várias religiões eles usam, aquele castiçal, aquele candelabro de sete, ela tem até uma chave pra você acender as velas.
Você acende a do meio, em nome do Pai, do Filho e do Espírito…
Os sete braços sempre são acesos com uma invocação da força.
Tem gente que acende tudo e vai embora, de qualquer jeito.
E eu fico danado quando o cara acende e espeta a outra por cima, da que está acesa, pra apagar e prender. Ele não sabe o que tá fazendo!
Tem que botar um pouco de carinho, de dedicação, em cada gesto que a gente faz. Isso é muito importante para que a gente possa realmente ter a força pra trabalhar. Eu acho que isso é que tá faltando mais, é esse conhecimento do que você está manipulando.




Enviar um comentário