sexta-feira, 17 de maio de 2013

Dharman Oxinto - Origem


A origem das Dharman Oxinto se perde na história das antigas civilizações. Conforme o significado de seu nome – “A CAMINHO DE DEUS” – essas Missionárias sempre estiveram ligadas aos rituais e à ajuda aos necessitados, trabalhando com amor, bondade e dedicação, dando o exemplo vivo do amor incondicional.

Não existe uma história completa da Falange Missionária de Dharman Oxinto, mas pequenas passagens, talvez aquelas que foram mais marcantes, e que nos foram reveladas por nossa Mãe Clarividente.

Uma época, no Antigo Egito, elas eram Sacerdotisas de Hórus, filho de Ísis e Osíris, e compunha o Trino poderoso que regia o Egito. Era o Deus Falcão, com o poder das Forças Celestiais regidas por Saturno. Sua representação se encontra nas pinturas da época conforme o desenho ao lado. Essas Sacerdotisas eram guardiãs de poderosos segredos, e em seus rituais manipulavam fortíssimas energias, principalmente curadoras.

No Peloponeso, as Dharman Oxinto, juntamente com as Yuricys e as Jaçanãs, prestavam ajuda aos combatentes, tratando os feridos, minorando o sofrimento dos moribundos e cuidando dos velhos e crianças envolvidos pelas batalhas. Destacaram-se as Dharman Oxinto pelo trabalho com a Cruz do Caminho, que, naquela época, havia sido instalada pelos Reis exilados do Turigano. Eles se dedicaram ao auxílio de necessitados, em um castelo situado num lugar ermo. Para marcar a entrada daquela trilha que levava ao castelo, colocaram uma cruz. Assim nasceu a denominação de "Cruz do Caminho", e, pela ajuda que deram, as Dharman Oxinto hoje têm lugar de destaque no ritual da Cruz do Caminho, ficando de honra e guarda a Mãe Yemanjá.

Há quase 600 anos, essa Falange encarnou como Freiras, na Europa, em um lugar perto de Paris, na França. Era uma fase de muitas guerras e perseguições, com os senhores das terras lutando entre si, escravizando e matando sem piedade. O Convento daquelas Freiras se tornou famoso pelo auxílio que prestava aos necessitados. Os doentes, feridos, fugitivos, enfim, todos os que precisavam de abrigo e alimento, sabiam que as Freiras os receberiam. E esse farol de amor despertou o ódio daqueles poderosos senhores, que combinaram arrasar o Convento.

Guiadas pelas Dharman Oxinto do Espaço, as Freiras fugiram para uma enorme floresta, onde se refugiaram nas ruínas de um velho castelo, escapando do massacre. Ali continuaram seus trabalhos, ajudadas pelos modestos serviçais de castelos próximos. Esses serviçais tiravam, às escondidas, alimentos e vestuário de seus senhores, e entregavam tudo às Freiras, para servirem a quem precisava de ajuda. Ficaram conhecidas como as “Fadas da Floresta”.

Assim foi sempre a Falange: marcada pela elevada posição nos rituais e pela dedicação ao trabalho na Lei de Auxílio.

No Limiar do Terceiro Milênio, mais uma vez reunidas, as Dharman Oxinto seguem sua gloriosa jornada, com missão específica em diversos rituais de elevada precisão, tais como a Iniciação, o Oráculo, a Autorização, a Estrela Sublimação e a Cruz do Caminho. Trazendo a bagagem imensa, acumulada em sua marcha através dos séculos, é preciso que, unidas pelo amor e pela consciência de sua sublime missão, as Dharman Oxinto se lancem às conquistas finais, amparando os caídos, confortando os desesperados, e dando toda a assistência aos rituais. Jornada para a Luz – A Caminho de Deus...

A projeção das Dharman Oxinto do Espaço, sob a regência de nossa querida Princesa ALINE, está cada vez mais forte. O conjunto de forças de que dispõe uma Missionária está completo. Assim, temos tudo quanto precisamos para cumprirmos nossa missão.

Com harmonia, com amor, com equilíbrio, vamos unir nossas forças e nossos corações não somente dentro de nossa Falange, mas com todos os filhos de PAI SETA BRANCA, que estão conosco nesta luta. Irmanarmo-nos com as outras Missionárias, buscar a sintonia com os Comandantes, suprir cada trabalho com nossa presença, é o mínimo que podemos fazer para seguirmos, sob as bênçãos de nosso Pai, nossa caminhada.
Informações sobre a Falange Dharmo-Oxinto

1ª Dharmo-Oxinto - Dinah
Adj de Apoio - Adj Trino Triada Tumarã Mestre José Carlos
Guia Missionária - Princesa Aline
Enviar um comentário