segunda-feira, 13 de maio de 2013

A Lua


A Lua não é somente um simples satélite de nosso planeta. Ela é o polo negativo das forças magnéticas que agem na Terra, controladas por Olorum, enquanto o Sol é o positivo, com as forças de Obatalá.

São verdadeiras usinas de forças, que mantêm a vida na Terra, ao mesmo tempo em que regulam o equilíbrio magnético que representa todo o campo de forças do planeta.

Porque trabalham sob sua regência, os médiuns de incorporação são chamados de Mestres e Ninfas Lua.

Tiãozinho explicou à Tia Neiva que a Lua tem múltiplas funções de grande importância, que estão em pleno funcionamento, muito além do conhecimento do Homem; na Lua existem seres lunares, espíritos ocupando corpos de acordo com as condições locais, tendo como principal função o controle das gigantescas usinas em seu interior, e que são desintegrados ao simples contacto com um ser humano. Daí o perigo que oferecem as viagens à Lua.

De modo geral, os diferentes fenómenos causados pela força lunar na Natureza e no comportamento do Homem foram registados desde eras remotas, e influenciaram povos antigos, embora tendo sido levados à conta de lendas e superstições, até há pouco tempo, pelos cientistas e técnicos.

Pela investigação metódica e comparativa, a Ciência começou a ter uma outra visão daqueles acontecimentos, chegando à conclusão de que, sem dúvida, embora desconhecendo a força geradora, há comprovação da influência lunar em vários acontecimentos na Terra, especialmente no próprio Homem. Por exemplo:

a) na Medicina, foi verificado haver uma maior incidência de hemorragias nas cirurgias feitas entre o quarto crescente e o minguante, com maior índice na Lua cheia;

b) na Biologia, alguns lotes de animais que vivem nas praias e partes rasas do mar, foram levados para serem estudados em zona interior, distante do mar, e seus movimentos vitais, que os cientistas consideravam ligados ao movimento das marés, continuaram a existir, embora em obediência ao fuso horário local em relação à fase lunar e não ao das marés em seu local de origem.

Inúmeras experiências vêm comprovando a real atuação da força lunar na vida da Terra. Xamãs e curandeiros, bem como os trabalhadores da roça, sabem dessas influências para a colheita, o plantio e o preparo de remédios vegetais. Médicos reconhecem que a Lua cheia propicia um aumento de partos, altera o ânimo dos psicopatas, que têm um registo onde se verifica que a violência cresce durante a Lua nova e chega ao máximo na Lua cheia.

Na regência da Lua cheia, no Vale do Amanhecer, é feito o Alabá nos sete dias (três dias antes + dia da Lua cheia + três dias após), de grande poder desobsessivo, e as Estrelas Candentes são formadas com maior número de médiuns no triângulo azul, em que se projeta a força lunar.

“Aqui fizemos uma Lei e, nela, nos complicamos muito. E, por ela, tentamos afirmar aos olhos dos outros o que, na realidade, não sentimos.

A Sociedade nos ensina tudo o que é bom e honesto, porém a maioria não entende a mensagem e começa a pesar o ouro e a prata na balança. E vão abandonando os seus fornecedores, que são o Sol e a Lua, a força energética que nos anodiza e que nos dá a fortaleza para bem assumir nossos destinos cármicos; e desenvolve o poder que está oculto em nós mesmos.

Sim, filho! Se existe um Sol Interior em nós mesmos, que nos anodiza, colorindo nossos pensamentos, é importante saber que, adquirindo o ouro e a prata que não pesa na balança, adquirimos tudo o que realmente precisamos. Inclusive, saber que a Lua representa a prata e o Sol o ouro.

A Lua busca no neutrom as impregnações cármicas e, de conformidade, o seu Sol Interior as vai separando, para que na força centrífuga as afaste, para o seu bem, onde sempre são formadas estas impregnações, doenças, até mesmo obsessões.”

Vale do Amanhecer-Templo Vamor-Patrocínio MG

Enviar um comentário