sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Formação de Adjuntos e suas responsabilidades


FORMAÇÃO DE ADJUNTOS E SUAS RESPONSABILIDADES
Salve Deus!
Quando falamos que a Doutrina do Amanhecer (leis e normas transcritas por Tia Neiva. Essência doutrinária) supre a todos os parâmetros atuais de comportamento mediúnico e atividade espiritual não estamos exagerando pois ela atende e responde por todas as ansiedades e buscas do ser humano na complementação de repostas existenciais e torna sua alma, seu espírito mais brando para lidar com as dificuldades geradas pela condição sociológica, psicológica e espiritual que aflige o ser humano.
No primeiro instante do surgimento da proposta abraçada por Neiva Chaves Zelaya na década de cinquenta, em meio a confusão gerada pelas visões, que até então era para ela confusas e de difíceis interpretação, com a implantação da UESB, achava ela que seria uma comunidade criada para atender as pessoas acometidas pelos males físicos e espirituais.
Nasceu então a UESB, uma comunidade entre Alexânia e Brasília, em um local chamado Serra do Ouro, foi implantado além do templo um hospital, e nele eram atendidos os pacientes que também eram acometidos de males físicos. Até que certa feita Pai João disse a então Irmã Neiva que para cuidar do corpo havia já muita gente no planeta, mas para cuidar da alma, haviam poucos, e ela seria uma dessa predestinadas a cura da alma.
Depois de algumas situações as quais determinaram a saída e extinção da UESB, eles vão para Taguatinga e depois para os arredores de Planaltina em 09 de novembro de 1969 e então nasceu o Vale do Amanhecer.
A proposta original do Vale para Pai Seta Branca seria que ali residiriam apenas os médiuns que fizessem parte da doutrina. Um lugar onde as pessoas realmente encontrassem um ambiente que favorecesse a atividade religiosa. Tanto que Tia Neiva concedeu um espaço para que os Adjuntos construíssem seu local de morar ou residência.
A estruturação da Doutrina deu-se com maior afinco após a iniciação Dharman-Oxinto, a formação do Mestrado, a criação da Estrela Candente e o nascimento do Adjunto.
Na criação e formação do Adjunto foi elaborado um bem sucedido plano de abrangência em todos os sentidos. Após a identificação de seus respectivos Ministros, Tia Neiva foi dando atribuições representatividade espiritual a alguns deles.
Também surgiram Trinos administração, Trinos Artes, Trinos herdeiros, Trinos regentes e Trinos Presidentes que seria o ponto de máximo de nossa hierarquia.
Alguns Adjuntos representariam os Cavaleiros da lança verde, Lilás, vermelha, rósea, Dubali, o Mestre Janatã teria a atribuição de cuidar da escala da Estrela Candente, Alufã e Adejã das falanges missionárias, das consagrações, rituais e classificações. Já outros compuseram o que foi denominado de Força Mercenária, são Mestres que formaria sua tropa e elas serviriam os Adjuntos maiores na manutenção de todos os rituais da doutrina. São eles:
-Ajunto Japuacy- Responsável pela receção.
-Adjunto Yuricy- Responsável pelas missionárias Yuricys.
-Trino Mourã- Responsável pela formação dos Cavaleiros da Lança vermelha
-Adjunto Janatã- Mestres da Estrela candente (que posteriormente comandariam a
Indução)
-Alufã e Adejã- Falanges Missionárias.
Na formação do Mestrado e depois do Adjunto Tia Neiva completaria com a estruturação do Continente.
Mas o que é o continente?
Tudo tem seu princípio sua raiz, assim como todo iniciado vem ou é formado por outro iniciado e como sabemos quem leva ao aspirante a Mestre ao castelo de iniciação é um Ministro, em sua condição de gerir, evoluir ele tem as condições espirituais e bónus para “emprestar” o aspirante para que ele possa ceder esses bónus aos seus cobradores e dessa forma ser iniciado. Uma vez iniciado ele irá trabalhar para pagar aquele bónus “emprestado” pelo Ministro.
Na criação e formação do Adjunto em 1978 Tia Neiva criou vários desses mestres na condição de Adjunto de povo e outros solitários que ela denominou como Arautos.
Logo esses Adjuntos de povos começaram a formar seu continente, com seus raios decrescentes, padrinho, madrinha, escrava e as falanges missionárias.
Hoje após mais de trinta e cinco anos essa raiz, esse Ministro formou outros Mestres Adjuntos que por sua vez formou outros Adjuntos e assim hoje estamos com alguns Ministros que deve estar em sua quarta ou quinta geração de Adjuntos. Mesmo hoje quando um Mestre Adjunto deixa sua raiz e vai para outro templo, não deve se afastar dela, emite em missão especial do Ministro do Templo que vai servir, mas continua na decrescência do Ministrou que o formou.
Uma das classes de Mestres que formada especificamente preparar sua tropa foi o Adjunto Japuacy Mestre Valdemar. Os Mestre do Adjunto Japuacy que dão sustentação a Receção no Amanhecer, também chamados de Cavaleiros Japuacy tem uma missão nobre e delicada, pois são guardiões de nossas edificações, cuida do guarda de alguns rituais, são anfitriões daqueles que busca, informações sobre nossa doutrina. São Mestres que tão logo começa o trabalho oficial ou retiro, estão a postos para servir a quem chega a nossos templos.
São Mestres que tem uma proteção especial para lidar com pessoas desequilibradas espiritual e psicologicamente, portanto formam uma fileira de auxilio em nossos templos de grande importância.
Gilmar
Adjunto Adelano.

Enviar um comentário