quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Caminho natural

O Caminho Natural é o roteiro traçado por nosso espírito antes de chegar a este plano físico. Reunido com seu Mentor, já designado para acompanha-lo nesta jornada, preparamos um direcionamento para nossas metas kármicas. Escolhemos nossos pais, nossos encontros e desencontros, e nos preparamos de acordo com este “guia de viagem”.

Porém, quando encarnados, não nos lembramos do planejamento e nos enchemos de novos desejos. Queremos muito! Desviamos-nos dos planos e passamos viver em função destes desejos. Queremos uma vida diferente, ficar ao lado de pessoas diferentes e acreditamos que só seremos felizes ao atender aos apelos da alma.

Como seria mais fácil a vida se passássemos a “ouvir” a voz do espírito! Se compreendêssemos que naturalmente a vida nos mostra o caminho a ser seguido, e que este caminho nos conduzirá a plenitude da realização espiritual e a uma felicidade ainda presente no plano físico.

Ninguém está fadado a ser infeliz! Sofremos pelos nossos “quereres”, por não seguir o “caminho natural”, aceitando os fechamentos, para que as oportunidades apareçam.

Nós médiuns, que temos todas as técnicas de contato com o próprio espírito e ainda o local sagrado do Templo para buscar esta Individualidade, sofremos em dobro, pela consciência ignorada. Nossa responsabilidade não nos desculpa perante as infantis insistências da alma.

É preciso entender quando aquele que parecia o “amor de sua vida” se afasta naturalmente. Ninguém é de ninguém e a escada evolutiva é fatal. Muitas das pessoas que encontramos neste plano físico, demoraremos séculos para reencontrar, ou nem mais encontraremos, mesmo que seja o “tal amor de sua vida”. No mundo espiritual a Lei da Razão somente permitirá que fique onde seu padrão vibratório permitir, e nosso amor físico pode estar muito mais avançado, ou muito mais atrasado espiritualmente... Sua família espiritual é outra e sua alma gêmea vibra em algum lugar do Universo, esperando o momento do reencontro... Encontrá-la aqui? Na Terra? Salve Deus! É a exceção, não a regra! A absoluta maioria encontra apenas reajustes nos relacionamentos, ou amizades espirituais que nos auxiliam a evoluir em conjunto.

Também é preciso compreender que as perdas, ou o quê aparentemente são perdas, fazem parte de nosso ciclo evolutivo e quando perdemos algo, bens, um emprego, etc., significa que aquele ciclo encerrou e um novo irá se abrir. É necessário entender que o novo somente aparece quando nos libertamos do velho. Quando deixamos de vibrar no passado, nas perdas, nos desejos da personalidade, abrimos as portas para um novo presente e futuro.

Dizem os antigos que sempre que uma porta se fecha, outras duas se abrem... E é realmente assim! Temos que nos desligar da energia do que passou para estar em condições de enxergar os sinais do caminho natural, que irá apresentar as novas oportunidades.

Sem medo! Sem medo de enfrentar o novo, sem medo de mudar, de evoluir, de seguir em frente, de aceitar as novas oportunidades.

Entendo que não podemos ser “frios” as emoções do passado. Mas é preciso saber como vibrar no passado! Pense e vibre apenas no que lhe traga algo bom! Se lhe trouxer melancolia, angústia ou mesmo uma saudade que lhe impede de avançar... Salve Deus! Não estará fazendo o bem para ninguém e nem para você mesmo.

Meus irmãos e irmãs, passamos do tempo de brincar! É hora de parar de reclamar, parar de lamentar-se e olhar para tudo que temos nas mãos! É hora de buscar o espírito, mergulhar na Individualidade e ser feliz no cumprimento desta jornada. Assim nos preparamos “lá em cima”, assim poderemos ser felizes de verdade.

Kazagrande
Enviar um comentário