quarta-feira, 16 de maio de 2012

Anjos Vingadores



Um dos sentimentos mais tristes que prolifera na humanidade é a vingança. Muitos tentam mascarar sua sede de vingança usando a capa da justiça, enganando a si mesmos e outros incautos.

Fazendo-se de donos da verdade, pregam suas represálias em forma de fazer o quê é justo, de não se calar ante aos desmandos com os quais foram seguramente atingidos.

Estes “anjos vingadores” já se contradizem pela própria denominação. Somos homens em busca de despertar o anjo que podemos ser ao nos unificar com Deus Pai Todo Poderoso. Seguidores da Luz, não podemos esquecer que a fé que nos move, provêm de uma fonte única de bondade, que exclui qualquer forma de vingança. Anjo e vingança não são palavras que podem conviver.

Somente semeando o perdão é que poderemos ter a verdadeira justiça. Somente aprendendo a perdoar sem mágoas, sem ressentimentos é que podemos pedir perdão por nossas próprias faltas. Como encarar um “cobrador” no Angical, ou durante uma Prisão, se nosso coração ainda clama por uma justiça dentro do que “acreditamos” ser o correto? É necessário compreender que nossos cobradores também julgam ser o correto nos justiçar! Cobrar até o último centil! Assim, se desejamos pagar com amor e obter o perdão, somente seremos dignos deste pedido se soubermos primeiramente perdoar.

Mas como reagir perante tiranos e aqueles que comprovadamente agem de má-fé? Da mesma forma! Perdoando! Nosso objetivo neste plano físico é cumprir nossa jornada e se algo ou alguém se interpõe a ela, foge de nossa responsabilidade. Pois nosso compromisso é com o trabalho espiritual, e somente através dele é que poderemos nos libertar verdadeiramente e voltar para casa.

Os anjos vingadores têm a triste sina de semear a discórdia, de alimentar a chama das desilusões e do ódio. Separando irmãos, criando em suas fantasias a ilusão de justiça, mas praticando crimes de destruir os sonhos daqueles que acreditam em suas verdades construídas pelo próprio inconsciente distorcido.

Em nossas orações, devemos pedir por eles, que desconhecem a profundidade dos ensinamentos que nos foram deixados. Que rompem com os preceitos do Divino Mestre de Amor, Humildade e Tolerância.

Não somos capazes de ter noção da verdadeira justiça! Não sabemos o quê, ou quem, está por trás de cada atitude. Assim não devemos julgar, nos resta passar pela lição com o mérito real do perdão e amor incondicional.
Enviar um comentário