segunda-feira, 30 de abril de 2012

Falando com Mário Sassi, Trino Tumuchy


Meus Mestres Jaguares:

Estamos atravessando um momento difícil de nossa jornada. A estrada que, até agora, era pavimentada e lisa, tornou-se pedregosa e acidentada. Enquanto Tia Neiva nos guiava, a estrada era fácil e a jornada amena.
Depois que ela partiu, nos sentimos perdidos e sem rumo. Mas, será que está certo nos sentirmos assim? Será que a mãe carinhosa, que amava tanto seus filhos, iria abandoná-los nos momentos difíceis de suas jornadas?
Não! O que estamos fazendo é cometer um lamentável engano. Não, não é ela que está nos abandonando. Nós é que estamos nos alheando dela! Nós é que estamos falhando! Ela nos amava e nos ama ainda mais. Nós é que deixamos de amá-la. Estamos desfrutando do jardim e da mansão que ela nos deixou, mas não estamos sabendo conservá-los. Em vez de melhorá-los, estamos destruindo-os. E é bem no plano físico que isso mais aparece. Mestre Humarram nos disse uma vez: “A lei física que nos chama à razão é a mesma que nos conduz a Deus!” Será que não dá para entender o que esse pedacinho do mundo físico – o Vale do Amanhecer – está nos dizendo? Olhemos em torno de nós, e o que estamos vendo? Construções que abafam os lugares iniciáticos, irreverência com os rituais, com a presença de crianças e rádios falando alto, casas e barracos impedindo a circulação das energias, águas poluídas, não por bactérias, mas pelas vibrações negativas das mentes desatinadas de muitos, mentes alcoolizadas ou drogadas pela luxúria, envergando, muitas vezes, o sagrado uniforme. Será que foi isso que nossa Mãe Clarividente nos legou? Não, é evidente que não!
Uma cidade mediúnica e sagrada não, pode conviver com médiuns sem desenvolvimento, mercadores gananciosos e inescrupulosos, mulheres semiprostituídas e pessoas amorais.
O Vale do Amanhecer é terreno sagrado, que tinha sido mantido por séculos, para que dele partisse a grande mensagem de Seta Branca. Meu Deus! O que fizemos dele?
O mesmo estrago que fizemos com nosso pequeno mundo físico estamos fazendo com nossas almas. Já não controlamos nossas emoções, nem nossos impulsos. Estamos vivendo como vivem os que não têm Deus em seus corações. Estamos empedernidos, duros de coração, e chegamos a ser cruéis em nosso dia a dia. Estamos nos esquecendo do que somos – ou deveríamos ser: Jaguares verdadeiros!...
Não estamos tendo tolerância, nem humildade e muito menos amor.
Se abraçamos a missão de levar a Humanidade para o amor, como podemos fazer isso se nós mesmos não estamos amando? Que pode a Mãe Clarividente fazer diante de tanto desatino? Ela não está mais na Terra, e não pode chamar seus filhos à razão. Como pode seu espírito agir?
Jesus, o Divino Mestre, também teve esse problema. Não bastou a pregação do seu Evangelho e nem seu sacrifício na cruz para que seus discípulos tivessem aprendido seus ensinamentos. Ele teve que ressuscitar para completar a sua obra.
Neiva está fazendo o mesmo. Ela está ressuscitando em Koatay 108. A diferença entre Jesus ressuscitado e Jesus encarnado é que, em espírito, Ele não tinha mais problemas sentimentais de relacionamento com os seus discípulos. Ele os teve, e muitos, quando encarnado. O mesmo está acontecendo, agora, com Tia Neiva, Koatay 108. Ela agora é a espada da Justiça, vinda como uma Grande Iniciada, sem os embaraços da vida sentimental, sem o apego por estes ou aqueles, nem mesmo pelos que foram gerados pela sua carne.
E, para evitar os embaraços sentimentais que ela não veio na força dos Jaguares, pois, como Jaguar, ela estaria enredada nas teias sentimentais da tribo. Por isso, ela veio na força dos Grandes Iniciados. Esta força é sobre-humana, vai muito além do coração. É a suprema força do amor incondicional, que vem de Deus, amor por tudo e por todos, toda a criação. Os Grandes Iniciados trazem a força evolutiva para todos os seres humanos, força essa que não particulariza, não discrimina, é impessoal.
Por essa razão, ela é diferente da força dos Pretos Velhos, dos Caboclos e dos Curadores. Esses espíritos evoluem a cada um particularmente, são carinhosos e pacientes conosco, individualmente. Suportam, pacientemente, as nossas imperfeições. Os Grandes Iniciados evoluem humanidades, tratam do conjunto e do geral, não particularizam, não discriminam.
Essa é a razão porque sua força chega nos momentos de transição, no período em que o destino de toda a Humanidade está em jogo. Os planetas e as estrelas estão se movimentando e tirando a estabilidade da Terra e da Natureza. O Planeta Monstro – que talvez seja Capela ou Plutão – vai se aproximando da órbita da Terra, e vai alterar todo seu sistema, com mares invadindo terras, montanhas aparecendo onde não existiam, os climas se alterando... Enfim, tudo vai mudar.
Nesse quadro catastrófico, o que interessa, agora, aos Grandes Iniciados e a Koatay 108, é o resultado do trabalho feito por Tia Neiva, uma vez que a fase terminou, ou está terminando. Como os resultados do que fizemos até agora não é o que os planos espirituais esperavam, Neiva teve que voltar, mas veio na roupagem de Koatay 108. Ela veio para consertar o que está errado. Não há dúvida de que ela fará isso, uma vez que o Brasil depende do Vale do Amanhecer, e o mundo depende do Brasil. Se o Vale falhar, falha o Brasil e falha o planeta Terra. O Vale é responsável pelo que vai acontecer na transição do Segundo para o Terceiro Milênio.
E o que é essa transição?
Respondem Koatay 108 e o Velho Tumuchy:
“Todas as atividades humanas vão florescer, grandes coisas vão ser inventadas, haverá grandes descobertas arqueológicas, as ciências vão atingir verdadeiro esplendor, as religiões vão mudar de características, o que possibilitará unir Ciência e Religião, o mundo material e o mundo espiritual. MAS NADA DISSO SERÁ APROVEITADO PELA HUMANIDADE ATUAL, que já tem a sua sentença e irá continuar sua evolução em outros mundos. A atual Humanidade irá entregar tudo isso aos habitantes do Terceiro Milênio, que já começaram a existir, a partir dos superdotados.”
Mas tudo isso – a filosofia dos acontecimentos, os rituais adequados, os processos de cura desobsessiva, manipulação de energias em todos os níveis – já existe no Vale do Amanhecer e na nossa Doutrina. Só que tudo está soterrado sob os escombros do desamor, da intolerância, do orgulho, da vaidade e da teimosia. Ora, Pai Seta Branca já nos disse, claramente, que o Homem não constrói sobre seus escombros, donde se deduz que todo esse entulho terá que ser removido. E como pode acontecer isso? Como podem fatos subjetivos, sentimentos e ações humanas serem removidos? A resposta é uma só: removendo pessoas que sejas portadoras dessas posturas. E isso faz pensar num êxodo, num esvaziamento do Vale.
Quem não tiver cultivado sentimentos de amor, de tolerância e de humildade, não vai poder conviver com pessoas que tenham cultivado esses sentimentos.
O joio terá que ser, inexoravelmente, separado do trigo!
E a oportunidade é agora, oportunidade de os Jaguares reverem suas posições, suas posturas, antes que seja tarde para eles...
Koatay 108 está presente. Os Grandes Iniciados também!...
Creio que deve haver um prazo, um tempo. Mas a contagem regressiva
Já começou. Os acontecimentos estão acontecendo. Estamos nas portas do Terceiro Milênio, e esta carta é um grito de alerta!
Vale do Amanhecer, 14 de julho de 1990 – Mário Sassi, Trino Tumuchy
Enviar um comentário