sexta-feira, 16 de março de 2012

Desencarne Colectivo


A Bélgica está em luto pelas mortes de 28 pessoas, sendo 22 crianças, em um acidente de ônibus na Suíça.

Desencarne coletivos que acontecem por meio de acidentes, fenômenos da natureza e outros tipos de desastres, vitimando um grande grupo de pessoas... Cada vez mais temos presenciado este tipo de situação!

Temos que compreender que nosso planeta está ingressando em uma nova tônica evolutiva e uma aceleração natural dos carmas, de grupos de espíritos comprometidos com um mesmo débito ou mesmo com reajustes semelhantes, provenientes de suas outras passagens pela Terra, se prepara em conjunto, antes de reencarnar, para a redenção de suas dívidas nestes desencarnes em massa.

Todos os desencarnes, exceto os assassinatos e suicídios, são preparados pelos Mentores, de modo que podemos estar certos que existe uma previsão para estas “calamidades” e o auxilio e recepção destes espíritos é programado com antecedência.

Coloquei o “calamidades” entre aspas, porque na verdade é uma grande oportunidade! Realiza-se em menos tempo um reajuste que poderia perdurar por séculos. Sem contar o sentimento de solidariedade que é despertado nos que ficam, semeando o auxílio desinteressado às vítimas sobreviventes, comovendo e por vezes até levando o homem a voltar-se para Deus.

As grandes provas são quase sempre um indício de um fim de sofrimento e de aperfeiçoamento do Espírito, desde que sejam aceitas por amor a Deus”.  O Evangelho Segundo o Espiritismo

Nos Evangelhos encontramos várias citações a respeito dos sinais que são o prenúncio de uma Nova Era, da transformação no estado moral do Planeta, caracterizada pelo anúncio de calamidades diversas que atingirão a humanidade e dizimarão grande número de pessoas, para que, na seqüência, ocorra o reinado do bem, e sejam instituídas a paz e a fraternidade universal, confirmando a predição de que após os dias de aflição virão os dias de alegria.
Noa trata-se do “fim do mundo”, mas o fim deste mundo que conhecemos, em que o mal aparentemente se sobrepõem ao bem.

Não há transformação sem crise, e as calamidades agitam a humanidade, despertando-a para a solidariedade, a fraternidade, o bem, de forma a acelerar esse processo de modificação da disposição moral.

Olhando sob o ponto de vista espiritual, são removidas as pesadas cargas psíquicas existentes na atmosfera.

O quê devemos fazer?

Como Jaguares, nossos dever é formar uma poderosa corrente de acolhimento energético, enviando energias e partipando ativamente no resgate destes espíritos através de nossos trabalhos. Desse modo, estaremos utilizando nossos problemas como ferramenta evolutiva e não nos perdendo em murmurações, mas utilizando nosso livre-arbítrio como patrimônio.

O progresso de todos os seres da criação é o objetivo de tudo que acontece.

A função da dor é ampliar horizontes para realmente vislumbrarmos os concretos caminhos amorosos do equilíbrio”.

Enviar um comentário