terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Ciencia e Doutrina II


 
Durante o período em que estamos trabalhando espiritualmente, devidamente mediunizados e mergulhados em nossa Individualidade, não temos uma noção exata do tempo que passa e do cansaço.

Porém, é natural, que após o encerramento do trabalho, passados alguns instantes, sintamos o desgaste energético natural do corpo físico.

A energia extra-etérica, que recebemos durante a realização, necessita de um tempo para ser transmutada na energia física, que necessitamos para a reposição do desgaste corpóreo.

Analisando cientificamente, chegamos a conclusão que o equilíbrio energético é perfeito! Ao doarmos nossas energias durante um trabalho espiritual, recebemos exatamente a mesma quantidade de retorno do Plano Espiritual, porém uma energia mais sutil, pura e que vem a nos auxiliar em nossa jornada. Esta energia renova nossas células e nos garante um equilíbrio físico-espiritual mais eficiente. Todavia, para ser devidamente aproveitada, necessita de um “tempo de acomodação”.

O colete suado, pernas fracas e a vontade de tomar o cafezinho com pão de queijo, são provas incontestes do desgaste energético dos Jaguares na realização dos trabalhos. Podemos então entender que Energia é tudo aquilo com capacidade de produzir trabalho. É claro que através da variação desta energia, ou seja, de cada Trabalho realizado e de sua qualidade, advém os Bônus e/ou Merecimentos creditados por outra forma energética muito sutil: a Espiritual.”

Assim, após a reposição física, com a renovação energética acomodada, nos sentimos mais fortes, animados e verdadeiramente ansiosos pela próxima jornada de trabalho.

As energias existem em muitas formas e recebem diferentes nomes: Cinética, Elétrica, Potencial, Nuclear, Química, Magnética, Mental e Espiritual e ainda em muitas outras formas.  Os nomes se referem à origem ou a sua utilização. De qualquer forma são energias. Podem ser transformadas e por que não falar: manipuladas. Muitas se encontram disponíveis, no entanto, outras necessitam serem captadas ou mesmo produzidas. Uma vez disponível, essa energia não têm direção nem quantidade própria necessitando que uma força inteligente que as  direcione propiciando um objetivo e a quantidade certa. Sim, o médium Jaguar ao se desenvolver vai dominando a manipulação das energias. Na humildade e caridade ele encontra a dose certa.

É claro que se trata de uma grande responsabilidade. Desde o início, o Jaguar passa por graduais modificações em seus plexos que irão permitir a emissão e manipulação de energias. Os mentores responsáveis pelo desenvolvimento os acompanham muito de perto, intervindo em suas energias, nos plexos, na parte Mental inconsciente, fazendo consciente apenas aquilo que pode servir ao desenvolvimento do médium.  Plexos são regiões de nosso corpo biológico, onde temos grande irrigação sanguínea bem como vasta rede de nervos interligados. Um plexo nervoso é uma rede de nervos entrecruzados semelhante a uma caixa de distribuição elétrica numa casa.

Zifio, sem o amor e caridade nada se realiza! Nem a energia. Lembre-se de que esta pode voltar-se e realizar um trabalho contra você.”

Unificação da Ciência à Doutrina foi uma das premissas do Trino Tumuchy, desde os primeiros passos de sua caminhada como Mestre Jaguar. Ciência e Doutrina não são coisas contrarias! Caminham de forma intrínseca na formação do homem do terceiro milênio.

Licínio Fontana
Enviar um comentário