terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Magia Nativa - Tia Neiva


MAGIA NATIVA
Magia Nativa ou Neutra é uma poderosa força que age através do magnetismo, alterando o neutrom (*) e, consequentemente, o Sol Interior do médium, provocando a emissão de ectoplasma bom ou ruim, conforme o desejo de quem a está manipulando. É muito perigosa, porque envolve todo o magnético animal e alimenta todos os chakras com energia de determinado valor - positiva ou negativa -, havendo uma poderosa emissão de vibrações que podem ir muito longe, rompendo o neutrom e atingindo outros planos, atraindo espíritos distantes para junto de quem está emitindo.
É usada, normalmente, nos trabalhos executados por médiuns que não têm plexo iniciático, cheios de medo e superstições, dificultando muito sua evolução.
As Leis espirituais não a proíbem, mas aquele que a usa, mesmo para caridade, paga um preço muito alto. Por isso, principalmente para o médium que já tem um plexo iniciático, deve ser evitada. Pode se constituir no fator de condenação de uma reencarnação, pode levar o médium ao total desequilíbrio, tornando-o instrumento de poderosas forças do Vale das Sombras.
• “A Magia Neutra ou Nativa é capaz de engrandecer o trabalho ou provocar o desastre, dependendo isso daqueles que manejam o magnetismo. Em si o magnetismo não é bom nem mau. Ele apenas existe, dependendo sua ação do Agente Nativo Neutro, que é capaz de gerar o Bem ou produzir o Mal. Por exemplo: abre-se um trabalho de Magia Neutra ou Nativa, capaz de produzir correntes magnéticas, com todos os seus perigos. Nele não há aperfeiçoamento da alma, além de se correr o perigo do acrisolamento no Baixo Astral, dos valores negros. Porém, nada há nas Leis Etéricas que impeçam a realização desses trabalhos, que não passam de correntes eletromagnéticas sem a luz do néon. Meu filho Jaguar: Tenha em mente que quando sintonizamos no desejo de servir com amor, servimos sempre e sempre temos algo para oferecer, porém no curso extrasensorial, contidos em possibilidades virtuais na esfera do pensamento. Ninguém espera milagres mas sim os fenómenos produzidos pela Lei de Causa e Efeito na individualidade. Saudemos a Criação, sentindo a lógica acima de tudo. Porque, acima dos sentimentos, há a Razão! Nada nos impede de subirmos ao cimo da montanha pela Velha Estrada. Porém, por quê, se temos o roteiro exato da Nova Estrada? A diferença entre a Velha e a Nova pode ser observada nas ruínas de velhos templos que marcam a Velha. A Velha Estrada foi pontilhada por mil tribos e dividida durante muitos séculos. Prosseguindo nessa viajem chegamos a um longo e puro sentimento, que nos dá a Razão deste novo caminho, de novas perspectivas, onde desmancharemos o ciclo vicioso que nos leva à Velha Estrada. As primeiras coisas que observamos no velho caminho são as ruínas dos velhos templos! Filho, procure sempre a lógica do que lhe digo. Não raciocine por mim e sim pelo que pode acumular. Do nosso lado esquerdo sentimos a Magia Magnética Animal “dançando” ou se movimentando em diferentes mecanismos, oferecendo o sacrifício do corpo humano, despejando as pesadas cargas da superstição, da insegurança e do medo. A Magia Nativa acompanha a Velha Estrada, que é construída por experiências de tribos diversas e envolveram sacrifícios de bichos e animais, no Egito primitivo, nas ofertas aos deuses. Então, meu filho, prosseguindo cautelosamente, mais um pouco, nessa viagem, chegaremos a um lugar onde veremos a construção definitiva desta Nova Estrada, cuja obra se faz dentro de nós mesmos, edificada pela Lei do Auxílio do Cristo único, Jesus, Nosso Senhor, lutando contra a pobreza e a doença. Pelo outro lado do caminho vemos ainda outras tribos naturais, realizando as mesmas cerimonias de superstição e medo. O que me assusta são os Homens-Pássaros com semelhança humana, rápidos, inteligentes, oferecendo a cura e coisas materiais, e que ficam revoando até conseguir seu objetivo. Deus não trouxe o Homem a esta Terra para sofrer ou levá-lo à miséria. Criou-o para ser feliz, dando-lhe a inteligência no livre arbítrio. Todavia, depois de tudo o que o Homem fez contra as Leis, se aproveitando dos velhos pergaminhos, buscando o que já deixamos para trás e o que nos fez voltar, segundo as Leis e as forças que Deus criou, filho, o mundo nos faz perguntas e a sociedade nos obriga a responder. As perguntas são transmitidas e aplicadas pelas vibrações.” (Tia Neiva - Carta Aberta n. 8, 4.10.77)
Enviar um comentário