segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

PALAVRAS DO TRINO ARAKÉM CURSO DE RECICLAGEM 1991


Salve Deus !
Quis a vontade de Deus Pai todo Poderoso que aqui estivéssemos reunidos para mais este trabalho. Feliz do Jaguar que puder participar conosco destas reuniões, não pelo que nós falamos mas pelas forças que aqui estão sendo manipuladas e cada um está recebendo, na individualidade, o que necessita para sua jornada, para sua vida cármica. Quando reunidos em Cristo Jesus, somos um poder incalculável e com isso as correntes vão sendo quebradas, as auras vão sendo limpas e os caminhos vão se abrindo. Sabemos do esforço que vocês estão fazendo para virem aqui à noite, mas estão fazendo isso é para vocês mesmos. Nossa vida, nesta Corrente, é bastante exigida pelos nossos mentores, porque nós recebemos muito. Vamos caminhar neste sacerdócio e levar as mensagens de esperança para encarnados e desencarnados, descobrindo o caminho de volta. Muito poucos têm esta oportunidade e milhares e milhares gostariam de estar em nossos lugares como encarnados e ainda sob a proteção deste sol imenso que nos ilumina, o Sol de Simiromba Nosso Pai. Está chegando a hora em que devemos caminhar dentro do que foi traçado. Nos últimos sete para oito anos temos caminhado muito à vontade. Nos dois últimos anos de vida de nossa mãe, muitas coisas correram soltas por falta de condições dela. Ela era um ponto convergente de todos nós e muitos, até hoje, se ressentem de sua falta aqui na Terra. Muitos de nós estamos confundindo as coisas, achando que o Amanhecer é lugar de aprontar, de prazer, onde tudo está certo. Realmente, o Amanhecer é nosso, é a nossa casa e o nosso lar e esperamos que se comportem aqui como se comportam em seus lares, porque não podemos permitir mais determinadas coisas. Nós usamos um uniforme para que sejamos todos iguais e vamos exigir um comportamento doutrinário para podermos caminhar certo.
Este universo de Deus Pai Todo Poderoso tem milhões de esferas, de planetas e galáxias, e elas giram em perfeita ordem e sintonia, sem que um invada a área do outro. Assim é no mundo espiritual. Nós somos espíritos encarnados, individualidades universais, cada um diferente do outro.
O mundo gira em perfeita sintonia e disciplina e nós, encarnados a caminho da evolução, temos a obrigação de girar, caminhar dentro do nosso espaço em perfeita sintonia, nunca prejudicando o espaço do outro. Sem disciplina não há respeito nem evolução. O mundo dos espíritos sofredores é dominado pela desordem, pela indisciplina e pelas vibrações pesadas para tirarem proveito dele. Nossa mãe nunca nos ensinou a ser robôs. Ela queria nos ver com liberdade, acreditando que cada um de nós sabia até onde ia o nosso espaço. Ultimamente, temos observado um grande número de mestres achando que o Amanhecer é uma brincadeira. Lá fora, quando pertencemos a um clube, se fizermos alguma baderna somos excluídos. Aqui, nosso clube é o de Pai Seta Branca e nossa porta está aberta para todos. Não se pergunta de onde veio nem para onde vai e também não seguramos ninguém para não sair. Se nós quisermos realmente nos curar e curar aqueles que vêm a nós, precisamos agir dentro de um comportamento de pessoas equilibradas, normais e de responsabilidade, porque nossa responsabilidade é muito grande. Não estamos aqui para nos divertir. Estamos aqui para atender àquelas pessoas que aqui chegam e que, talvez, para ela,s seja a última esperança, a última porta em que eles vão bater. Somos todos filhos de Pai Seta Branca e ninguém aqui é de todo mal ou de todo bom. Precisamos aprender a aceitar as pessoas como elas são. O respeito às pessoas e às coisas que para nós são sagradas merecem toda a nossa consideração. Nos Templos, devemos nos comportar como nos comportamos em nossas casas. Com relação a mestres e a pacientes, não é possível continuar do jeito que estamos agindo. Precisamos muito da ajuda de cada um, da vibração positiva, dos trabalhos, da harmonia para que possamos quebrar estas correntes.
Para os que acham que podem ter comportamento irregular, que isto aqui não serve, não podemos fazer nada, como também não podemos concordar que continue assim. É necessário revelar algumas coisas, porque determinados quadros que acontecem, às vezes, são provocados pelos mentores para nossos reajustes cármicos. Mas, passado o momento, vamos analisar e nos colocamos na posição de mestres, porque aprontar aqui dentro, brigar, procurar brigas lá fora, qualquer um pode fazer, não precisa ser mestre. Agora errar e assumir a responsabilidade de que está errado, aí, sim, precisa ser um mestre. Nós somos profissionais e não podemos nos dar ao luxo de reclamações. Quantas vezes somos testados por espíritos ou até mesmo por encarnados e, em Cristo Jesus, é necessário que tenhamos o equilíbrio suficiente para suportar estes choques, para que não se tornem casos pessoais de vibrações, de fofocas, etc. Existem outros que não têm respeito por nada e nem sabemos porque estão aqui.
No mundo espiritual, se todas as vezes que errássemos eles tomassem providências, talvez nenhum de nós estivesse aqui hoje. Eles têm uma paciência sem limites conosco. Como poderemos exigir que muitos tenham o controle que nós temos?
Vamos, realmente, despertar, porque este período de 1991/1992 é o Ano do Jaguar. Nós vamos ver muita coisa acontecer na Corrente. Vai chegar a hora em que cada um vai ter que dar provas se vai ter condições de continuar ou não. A minha maior preocupação em fazer reuniões como esta é, exatamente, para que, juntos, possamos reunir a nossa força com estes abnegados Espíritos de Luz que estão nos assistindo, para podermos tirar a terra do coração e despertarmos para as coisas lindas que nos cercam aqui e lá fora. Tia Neiva dizia que o homem não veio á Terra para sofrer mas sim para ser feliz. Pai Seta Branca diz que o castigo não vem do Céu, ele vem dos nossos próprios erros. Às vezes um de nós é impedido de continuar para não se comprometer mais. Mestres, vamos pensar um pouco sobre isso, uma vez que ninguém gostaria de ser impedido. Não se esqueçam de que as leis físicas que nos chamam à razão são as mesmas que nos conduzem a Deus, e nós estamos sujeitos às leis físicas. Amanhã poderemos chorar com lágrimas de sangue o que deixamos de fazer. Nós todos somos operários de Jesus e de Pai Seta Branca. Somos os trabalhadores da última hora. Não poderemos realizar fenômenos e grandes trabalhos se não formarmos o campo vibracional necessário. Ultimamente, não há um trabalho em que não haja problemas com médium por indisciplina ou falta de conduta doutrinária. Isso não se justifica mais, sem contar ainda com o exemplo que se está dando para os que estão chegando. Muitas mesquinharias estão sendo praticadas aqui no Amanhecer. Meus mestres, muitos já deram a vida por este Amanhecer, a começar pela nossa Mãe Mentora.
Estamos há mais de dezessete anos aqui vivendo esta vida com toda intensidade, porque nós amamos esta Corrente e é por isso que estamos alertando a todos. Sabemos que é pesado mas é preciso falar, para que possamos manipular hoje para termos o Amanhecer que nossa mãe tanto sonhou. Se nós continuarmos assim, o que iremos entregar aos nossos sucessores? Temos que nos guiar um pouco pela razão, deixando um pouco de lado o coração. Aqui é o Templo do mestre e ai daquele que a espiritualidade resolver botar o olho em cima. Mestres, como executivo desta Corrente, eu exijo respeito aos nossos mestres, aos nossos filhos, às nossas esposas e aos nossos pais.
Vamos, agora, falar sobre o mundo dos espíritos. Uma época, neste planeta tinha água, árvores e animais, mas não tinha um ser inteligente, o espírito. Nos deslocaram para cá e chegaram à conclusão de que o espírito, na condição de outras esferas, não teria condições de sobreviver na Terra. Nas grandes Amacês foram feitas, em nome de Deus Pai Todo Poderoso, as primeiras experiências. Primeiro, vieram os Equitumans, com corpo físico imortal, e eles ficavam aqui de duzentos a quinhentos anos e voltavam. Havia uma desintegração daquele corpo físico e voltavam para a individualidade. A experiência não deu certo porque, de determinada faixa para frente, eles começaram a se desviar da rota, não acreditavam mais na linha traçada pelos mundos evoluídos e, como diz Pai Seta Branca, caiu uma lágrima do Céu e todos ficaram sob as águas do lago Titicaca, no Peru. Nossa mãe foi levada lá por Amanto e, na sua clarividência, viu os corpos lá no fundo. Lá existe tanta energia que os animais não conseguem sobreviver. Depois vieram outras experiências, até chegar a nós que estamos aqui, hoje.
O espírito não consegue colocar os pés na Terra, como também uma Amacê não consegue pousar. Por força do nosso carma, a Terra é o nosso presídio. Aqui nós estamos como prisioneiros, no bom sentido, porque pedimos a Deus Pai Todo Poderoso estas encarnações para nos libertar, evoluir e voltarmos para casa.
O espírito é uma individualidade única, é um ser vibrante e inteligente, é um universo. Nós somos assistidos por espíritos que nunca tiveram nenhuma encarnação aqui na Terra. Falanges e falanges de espíritos que nos assistem nunca encarnaram aqui. A maneira de descobrirmos o caminho de volta para casa é pela Lei do Auxílio. Chegou a hora da nossa libertação e por isso fomos escolhidos pela experiência que já temos aqui na Terra, com tantas encarnações, tantas lutas e sofrimentos. É uma missão árdua, e muito difícil, levar a cura desobsessiva a nossos irmãos.
Há mais ou menos mil anos, nós estivemos presos numa colônia, numa origem, por cem anos, porque descemos para cumprir uma missão e nos deixamos levar pela conquista e pelo amor, e nos perdemos. Muitos tiveram que passar pela escravidão para tirarem um pouco a terra do coração.
Hoje estamos aqui novamente, porque recebemos uma chamada de Jesus. É preocupante quando percebemos que muitos ainda não despertaram dentro de si para a grandeza que é esse sacerdócio que nos foi entregue. Ninguém consegue, em nenhum lugar do mundo, fazer o que fazem o mestre Sol e o mestre Lua.
A cada dia recebemos grandes e profundas lições sobre acontecimentos do mundo espiritual no mundo físico, pela prática do Evangelho no dia a dia. E a única maneira que nós temos, é o nosso trabalho, porque trabalhando, manipulamos e manteremos o equilíbrio. Temos condições de, à noite, realizarmos grandes jornadas nestes planos pesados, nestes planos onde os mentores já não estão conseguindo penetrar. Existem faixas sobre a Terra, em determinados locais, em que mesmo o espírito na roupagem de Preto Velho ou Caboclo, não consegue atravessar mais, de tão denso que está. Os Luminosos usam roupagem para poder resistir à pressão, para virem até aqui. Mas para nós, como espíritos presos a um plexo físico, não há limitações. Em Cristo Jesus, nós podemos hastear a bandeira rósea do amor por todo este universo. E, dentro desta simplicidade, nós temos condições de realizar grandes trabalhos, desde que tenhamos consciência do que somos e de sabermos onde pisamos.
Não poderemos mais nos deixar levar por mexericos, por conversinhas, por vibrações. Isto já não cabe mais em nós, porque já superamos esta faixa. Estamos sendo preparados para uma missão muito bonita. Um dia, no futuro, nós vamos ter condições de avaliar a grandeza do que estamos realizando aqui. Ninguém encarnado neste universo tem condições de falar com o Vale das Sombras e de levar uma mensagem à mente deles. Nós temos condições, aqui no Amanhecer, de elevar de volta para Deus os mais terríveis membros do Vale das Sombras, desde que sigamos as regras que nos deixaram.
Não precisamos de muito estudo. A sabedoria é muito mais importante do que a cultura dos homens. A cultura não trás a sabedoria mas um chacra desenvolvido e uma aura sintonizada com as forças divinas de Deus Pai Todo Poderoso, torna o mestre um sábio.
Vamos, em Cristo Jesus, vibrar com intensidade e com harmonia no equilíbrio que nós vamos conseguir, porque Pai Seta Branca movimentou poderes para que nós tivéssemos hoje este Amanhecer. O Amanhecer hoje é um portal de desintegração que nos liga ao mundo etérico. Daqui sobem todas as impurezas, placas cristalizadas, espíritos, mas também por aqui descem as nossas necessidades.
Vários Arcanos estão se dedicando, durante a semana, ao trabalho de Abatá. O Abatá é um trabalho completo. A Legião do Divino Mestre Lázaro fica tão grata pelo Abatá que praticamente eles materializam os pedidos dos mestres. Procurem fazer o Abatá, sua Anodização e um Retiro por mês. Não se preocupem com sua vida material porque ela vai ser decorrência de sua realização aqui dentro. Pai Seta Branca sabe perfeitamente o que nós queremos e do que nós precisamos. Talvez nós não saibamos do que precisamos, mas ele sabe.
Às vezes nós assumimos uma prisão para resolver um problema material, sem sabermos que não é este o caminho. A prisão é para ajudar os nossos cobradores e a nós mesmos. Tia Neiva dizia sempre que é preciso saber pedir. Em uma de suas cartas, Tia dizia que “quando eu te chamar com –0-, não te preocupes com tua vida material mas, sim, com aqueles que estão te esperando!” A tua vida material, teus mentores vão cuidar dela. Vejam bem: dentro da faixa cármica de cada um, Pai Seta Branca não quer ninguém revoltado do outro lado, porque um espírito frustrado não é um espírito liberto. Temos certeza de que todos já receberam a mensagem dos seus mentores. Nós temos a técnica e a ciência dos mundos etéricos e estamos na Terra para movimentar estas forças.
Às vezes vemos mestres desanimados, caindo porque receberam as forças e não as souberam manipular. Estas forças que recebemos são para serem manipuladas na Lei do Auxílio, em benefício dos outros. Temos nossas forças recebidas nas consagrações mas é preciso manipulá-las para não nos desequilibrarmos. Não basta só ter amor, é preciso suar o escudo na Lei do Auxílio, na proporção em que cada um recebeu.
Ninguém lhe exigiu que fizesse o curso de Sétimo nem que o mestre participe dos trabalhos. Está na responsabilidade de cada um. É ficar sentado olhando o que os outros fazem, verem os outros caírem, só que aquele que participa, hoje ele pode errar mas amanhã ele fará certo. Aquele que não participa, nunca fará certo nem errado. Salve Deus!
Uma explicação do trabalho de Indução Cabalística. Deste trabalho podem participar senhoras grávidas, prisioneiros, portanto, diferente da outra Indução.
Os mestres quando fazem as emissões vão abrindo as janelinhas para o mundo etérico. Quando começamos a puxar as correntes é como se todo mundo ficasse preso de novo, todo sujo de barro, aquele barro de banhado. As correntes vão chegando e não se manifestam espíritos. Quando chegam os Pretos Velhos, é feita a elevação. A incorporação dos Pretos Velhos é uma elevação. As energias são manipuladas e levadas e cada um recebe uma energia cristalina toda bonitinha. Pela força da mente e pela força do trabalho, as correntes que aqui chegam passam sobre nossas cabeças e vão embora, lógico, porque a espiritualidade não perde nem um pouquinho de energia, nem uma centelha de força do Jaguar. Nosso trabalho funciona assim. Procurem vibrar, vamos nos harmonizar procurando penetrar no canal junto com o mestre que está emitindo. Mentalizem o que desejam e as pessoas que desejam ajudar e vamos vibrar com toda intensidade para a realização do trabalho.

Enviar um comentário