sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Cuidado com a incorporação

Vovó Maria do Congo

A roupagem escolhida por nossos Mentores para atender os pacientes é de Preto Velho! Esta escolha ocorreu por vários motivos, dos quais posso citar:

A apresentação de Preto Velho é a expressão máxima da humildade, mais próxima de nossa realidade, onde um Ser de Luz, já evoluído e livre de seus enredos kármicos, assume para se fazer acessível, sem as elaboradas frases da cultura espiritual que possuem. Como se sentiria uma pessoa humilde, que não teve as oportunidades de desenvolvimento cultural neste plano, ao conversar com um “Doutor” de palavras difíceis? Seria fácil quebrantar a intimidação e o natural constrangimento? E, perante os pacientes de maior nível educacional, se sobressai a beleza da simplicidade pela experiência adquirida na apresentação da figura do sábio Preto Velho.

Também é notório que nem todos nossos Mentores tiveram uma encarnação como escravo. Muitos apenas usam esta roupagem cumprindo as Leis do Amanhecer.

Para nós médiuns, conhecedores da realidade espiritual de nossos Mentores, torna-se uma obrigação o tratamento de extremo respeito e educação. Estas Entidades chegam exclusivamente para a prática da caridade, sem jamais intrometerem-se em nossas vidas, apenas trazendo o bálsamo curador para o espírito e para o corpo físico. Escutam nossas mazelas, nossos dramas pessoais e envolvimentos kármicos. Absorvem nosso negativismo e devolvem harmonia, paz e esperança. Curam nossas dores morais e físicas, sempre que nosso padrão vibratório e nossos merecimentos permitem.

A Voz Direta, dom mediúnico cedido por Deus aos Aparás, é um tesouro a ser cultuado como expressão de Amor Divino e respeitado como a própria Presença da Luz.

Respeito! É a palavra da Ordem!

Respeito por parte dos Doutrinadores, que devem ter a total consciência do belíssimo fenômeno que ali se manifesta e a compreensão do enorme desprendimento do médium de incorporação e da Entidade presente.

Respeito por parte dos Aparás, jamais permitindo que seus pensamentos, sentimentos e vibrações pessoais se misturem com a expressão Divina ali presente. Seu Mentor é seu pai, sua mãe, é a quem você deve, mesmo sem ser cobrado, total respeito e formalidade.

O amor e o carinho destes seres deve ser recíproco. Não devemos usar seus nomes em brincadeiras da personalidade, e muito menos banalizar o sagrado.

As maiores demonstrações de falta de respeito sempre se iniciam de maneira “inocente”, com uma brincadeira, mas que atraem espíritos que insuflam o agravar da situação e o aumento do tom da já iniciada falta de conduta.

Reserve para a personalidade as coisas da personalidade e procuremos manter o sagrado, o Iniciático, o Missionário, longe do que tristemente banaliza a grandiosa missão que por ora nos é confiada.

Enviar um comentário