terça-feira, 31 de julho de 2012

1972 - 2012


Salve Deus!

Já nos perguntamos por quê estamos nesta Doutrina? Digo assim, qual a razão de ser de todo este complexo doutrinário trazido com tanta dificuldade por Pai Seta Branca através de nossa Mãe Clarividente?

Buscando nas mensagens de nosso próprio Pai Seta Branca é que encontramos o real sentido de tudo isso! Estamos sendo preparados para o “Socorro Final”. Mas o quê vem a ser este “Socorro Final”?

Toda a estrutura mediúnica implantada por nossa Doutrina tem o objetivo de nos capacitar para atender a todos que nos procurarem ou forem enviados. A dor do mundo já começou, seguramente de forma mais sutil do quê a prevista pelos profetas, talvez pelo próprio trabalho de missionários abnegados, como Tia Neiva e Chico Xavier, que dedicaram toda uma encarnação a trazer as “mensagens do céu”, esclarecendo, iluminando e semeando um maior contato com a espiritualidade.

A obra destes missionários se expande pelo mundo levando o homem a refletir e espiritualizar-se pelo amor, não somente pela dor, como ocorria antes.

Já em 1972, Pai Seta Branca nos avisava que seríamos exigidos pelo compromisso que fizemos. Este compromisso tanto espiritual, quanto por nós renovado neste plano físico com nossa Iniciação, nos dará a segurança que precisamos para passar as maiores transições. Fala também dos “seres” liberados pelas mudanças físicas do planeta. Lembremos que são seres espirituais, adormecidos, acrisolados e esperando o momento de atuar na humanidade atual. Muitos poderão se manifestar em formas de doenças (somente curadas com os avanços da ciência) e outros de forma obsessiva (somente curados pelos nosso compromisso espiritual).

Então, o Homem desanimado vagará na escuridão e beijará os vossos pés sangrentos da caminhada para o encontrar.

E vós, filhos meus, luminosos, atravessareis as densas nuvens que irão desabar da sua própria impregnação mediúnica, pois o Homem jamais edificará nos seus próprios escombros! (O Céu e a Terra passarão, mas não passarão as minhas palavras, disse Jesus).

É, então, que o Espírito Consolador exigirá o vosso compromisso ao socorro final. O que será do Homem, sem o Espírito Consolador, vendo suas grandezas e seus tesouros submergirem no alvo oceano, quando as bases frágeis das montanhas de gelo cederem e, ao se transformarem em água, liberarem os pequenos seres que trarão a luta e só serão vencidos pelos vossos conhecimentos científicos, filhos meus?

Que dirá o Homem esclarecido quando os grandes aparelhos começarem a surgir no Céu?”

Já em 1973 Pai Seta Branca tranqüiliza aqueles que despertam sua consciência doutrinária:

Não se alarmem quando os primeiros sinais aparecerem no Céu, pois aquele que estiver seguro não será atingido, porque não poderá faltar um só filho deste Pai Seta Branca!”

Confirmando em 1974, em sua nova mensagem, e alertando para manter a sintonia com os planos espirituais, pois temos a Voz Direta, não precisamos nos aferroar nas profecias (Tia mesmo nos dizia: as previsões sempre estão sujeitas a falhas e modificações).

Somente a vontade de Deus nos tem permitido afirmações tão claras, no plano vibracional, de um povo esclarecido para uma Nova Era.

Filhos, não vos apresseis e também não vos abateis pelos rumores: somente do Céu ouvireis! (...)

Cuidado, filhos! Não vos precipiteis com os primeiros sinais do Céu, nem com as trevas que surgirão nos horizontes, nem com as águas que subirão ao vosso redor, porque sois filhos do Sol e da Lua e, portanto, nada devereis temer!

E, antes que surja outra mensagem, filhos, o mundo já estará vibrando convosco.”

Nossa responsabilidade é novamente foco da mensagem de 1975. Fomos preparados para este momento de transição e não temos mais porque falhar. Um grande investimento é feito, por parte da espiritualidade, para que verdadeiramente estejamos conscientes e seguros de nossa missão.

Filhos: há dois mil e quinhentos anos Deus já vos preparava para o socorro final. Não temais o fim dos tempos e nem o que dizem os profetas.

Lembrai-vos somente do que disse Jesus, o Caminheiro: Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo.

Alertai-vos, filhos! Não vos abateis pelos falsos rumores e, também, não vos arraigueis aos castelos e edifícios ornamentais em vosso redor, de baço brilho, amontoando-se e marginalizando a própria civilização que conquistastes, construída com tantos sacrifícios.

Procurai, filhos, a Natureza... Buscai o aroma das matas frondosas e os frutos que caem e se perdem no solo deserto...

Não deixeis que a Natureza se canse e, não mais regando, o seu solo seco se rache, enquanto os falsos profetas, sem penetrar nas leis de causa e efeito, repitam: É sinal dos tempos!

Jaguares do Amanhecer, filhos queridos do meu coração! Alertai-vos para não cairdes no padrão dos demais.

As leis físicas que vos chamam à razão são as mesmas que vos conduzem a Deus!

Nunca vos isenteis da culpa.

Aceitai-a nos vossos destinos cármicos. Sempre vos disse que a dor não vem do Céu e sim das vossas próprias falhas!”

Para aqueles que se prendiam a síndrome de “fim do mundo” de 1984, depois 1999, depois 2000 e 2001, e agora 2012, nosso Pai, em 1976 já declarava:

Filhos queridos do meu coração! Seguiremos a marcha evolutiva e grandes são as realizações que também vos proporcionarei, no conhecimento iniciático nesta Corrente do Amanhecer.

Jamais me passará desapercebido qualquer filho, colocado a caminho de Deus, cada filho que se encaminha ao altar da Presença Divina e eleva a sua espada aos olhos de Jesus!”

Ainda em 1976, já prevendo o poder e a força a ser manipulada na Estrela Candente (único portal pelo qual poderia passar até mesmo um “Cavaleiro do Apocalipse”), nos dá uma mensagem de confiança em nossa responsabilidade e despertar:

Filhos, cada espada que se ergue é uma esperança na conquista de uma Nova Era, e é por ela que Jesus vem impedindo a força dos irrealizados cavaleiros milenares, que vêm cavalgando na ira de uma vingança desproporcionada.

Era do Apocalipse! Jaguares do Amanhecer, tereis vós outros a missão de detê-los e colocá-los a caminho de Deus!

Cada cavaleiro tem um poder destruidor, e quis a vontade de Deus nos colocar diante desses cavaleiros - os Cavaleiros do Apocalipse.

Somente o amor, em vossas espadas doutrinárias da lei física e da espiritual, impedirá tão impetuosos espíritos.”

Em 1977, Pai Seta Branca já pode afirmar sua confiança em nós:

Porque a Terra não irá tremer para vós outros, porque tudo é ALMA e NATUREZA. Por que devotar-se a morrer se não acreditais na vida eterna?

Nos mundos civilizados, do contato e do amor, é chegada a grande hora! Cairá, portanto, o falso preconceito da visão física.

Dias virão, também, em que não terão razão para atuar os Quatro Cavaleiros do Apocalipse, que simbolizam a Desventura, a Morte, a Epidemia e a Fome.”

Por fim, na mensagem de 1979 (escolhida para leitura no último 31 de dezembro) Pai Seta Branca deixa clara a conjunção de dois planos já acontecendo, a junção do físico com o etérico antes de sua total extinção (a passagem de Capela culminará com a extinção do plano etérico, não permitindo mais a existência de um plano paralelo negativo na aura da Terra com a chegada do “Eldorado”:

Filhos, nesta Terra, brevemente, vereis pássaros com faces humanas, voando nas proximidades, à vista do olhar físico, que atravessarão os leitos dos adormecidos.

Sim, quando chegar a hora, vereis, do outro lado do caminho, tribos realizando cerimônias e oferecendo sacrifícios nos ricos altares, diante das imagens também pesadas da ostentação, da tradição e do medo, e, prosseguindo mais um pouco na viagem, vereis que, sem fechar a porta do seu templo, serão arrastados para o oceano!

Então, filhos Jaguares, o Homem ainda verá seus grandes tesouros, suas tradições, seus velhos papiros, suas leis e escrituras religiosas, tudo, filho, levado pela água ou devorado pelo fogo, numa espécie de luto e temor!...

É um país? Não, filho, é um poder escravizado, na sua fase de libertação!

Sim, filho, caminhastes ao Quinto Ciclo sem o contato de Capela!

Resististes dos Equitumans ao Jaguar!

Fostes e serei sujeitos às reações das leis porque as vossas mãos e os vossos pés estão ligados às forças dos vossos destinos cármicos, até que chegue o Eldorado, ao rigor das quatro forças que dominarão, com a Ciência, os Quatro Cavaleiros do Apocalipse!”

Em “Sob os Olhos da Clarividente”, Tia Neiva nos deixa com clareza como tudo ira terminar:

Na Espiritualidade se diz que as siglas para o Terceiro Milênio serão: Deus, Paz e Fraternidade.

Observe essas três palavras, e veja como elas são coerentes, como complementação, etapa seguinte das atuais.

A Humildade nos leva à sabedoria, ao conhecimento, a sentir Deus. Teremos, então, não um Deus abstrato e antropomórfico, mas um Deus real, visível, mais palpável.

O Amor nos leva à tônica da Paz, da tranqüilidade ativa.

E a Tolerância nos leva à Fraternidade, a viver bem com nossos irmãos. Creio que isso dá para entender o futuro.

Essa civilização se exaure pelo término de uma tarefa Crística.

Os espíritos que alcançarão a próxima etapa evolutiva vão viver de acordo com ela.

Os que não conseguirem, serão atraídos, por afinidade, para as etapas onde ainda permanecem.

Cada um terá a oportunidade, de acordo com seu padrão vibratório.

Salve Deus!
Adjunto Anavo
Mestre Kazagrande

Enviar um comentário