sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Sol Interior

Foto de Tanga Stumpf
 
O Sistema Planetário do Homem compreende suas três esferas coronárias, seu Sol Interior, governadas pelo Eixo Solar, em constante movimento no âmbito de sua orbe terrestre.
O PLEXO SOLAR - O SOL INTERIOR - Formado por três vórtices, na região pouco acima do umbigo, é o chakra (*) mais complexo, pois faz a ligação do corpo astral ao corpo físico, processando energias que se originam nas vibrações dos Astral inferior, Astral superior e Mental inferior. É onde se faz a ligação do Centro Coronário (*).
Esferas sobre esferas, os três vórtices unem-se em um talo complexo que termina entre a 1ª e a 2ª vértebras lombares.
O Eixo Solar do Homem é uma espiral de energias que atua de forma perpendicular sobre a cabeça do ser humano e governa suas esferas coronárias, o seu Sol Interior, um sistema particularizado e individual, centro vital do Homem, poderoso emissor e captador de energias e forças.
Essas esferas representam os três reinos de nossa natureza, vibrando intensamente no plano físico - plexo físico -, no plano psíquico - microplexo ou alma - e no plano etérico - macroplexo, plexo etérico ou espírito, formando três planos vibratórios diferentes, sendo cada um regido por suas leis próprias e, embora dentro de relativa autonomia, os três mantêm estreita relação entre si, formando uma unidade composta por três elementos diferenciados.
Isto é o que, sob o ponto de vista iniciático, denominamos o mistério do Trino, Tríade ou Trindade.
Nosso sistema planetário recebe as influências das diversas estrelas - Sivans, Harpásios, Vancares, etc.
Essas esferas não são físicas, isto é, não são compostas por qualquer substância palpável ou tecido, mas contêm as projeções defeituosas de encarnações anteriores e levam as marcas dos caracteres hereditários das famílias espirituais - as afinidades psicológicas ou possíveis contradições de caráter da mesma família.
Deste Centro Coronário partem sete raios de energia, sete forças que se distribuem pelo organismo humano, terminando cada um em um chakra - o mesmo sistema em dois planos diferentes, de onde são distribuídas aos órgãos do corpo, vitalizando-os.
No Doutrinador, a força alimenta o chakra coronário; no Apará, o chakra umbilical.
É no Centro Coronário que se originam as manifestações e os registros que calcam a sensibilidade e envolvem, no físico, sua atuação passada que, refletida no presente, forma o carma (*), a Lei de Causa e Efeito.
Na manipulação das energias, o Centro Coronário emana fluidicamente a alma, alimentando-a com irradiações energéticas, estimulando, vitalizando, gerando o BEM e o MAL, marcando o próprio Homem com as conseqüências felizes ou infelizes de seus atos.
A condensação das energias produz magnetismo (*) que, conforme a carga das forças manifestadas, podem ser atraídas - centrípeta - ou emitidas - centrífugas.
Na Doutrina do Amanhecer se aprende a manipulação dessas forças, que também variam em sua polaridade - o Sol, polo positivo, gerando ânions, e a Lua, polo negativo, gerando cations.
Ectopia é a emissão de ectoplasma. O ectolítero emite o ectolítrio, que vai acionar o chakra laríngeo (*), permitindo que seja feita, melo médium, a emissão do ectoplasma. Essa emissão, assim, depende diretamente das condições proporcionadas pelo médium, de acordo com a harmonia e o equilíbrio de seu Sol Interior e pelas vibrações de sua mente.
No Sol Interior se produz o ectoplasma (*) - ou fluído magnético animal -, sendo variável em teor e em quantidade conforme as metas cármicas ou programas do espírito na Terra. É universal, porque todas as pessoas - espíritos encarnados - o produzem, constituindo-se na base do padrão vibratório (*) e da manifestação mediúnica.
De acordo com sua carga natural, dependendo das condições de seu Sol Interior, o ectolítero proporciona ectolítrio em níveis variáveis, influenciando a ectopia, a emissão do ectoplasma. Quando equilibrado o Sol Interior, o médium tem plena capacidade de emitir seu ectoplasma portador de várias energias benéficas, seja um Apará ou um Doutrinador, sentindo-se realizado em sua jornada.
Na Doutrina do Amanhecer é adotado o desenvolvimento natural da capacidade mediúnica de cada um, proporcionando-lhe condições para que possa controlar suas forças e energias, disciplinado-as suavemente para que possam fluir pelos canais próprios, reunindo as energias e fluídos ectoplasmáticos pelas forças centrípetas e afastando e emitindo as energias, sob o comando do Eixo Solar, pelas forças centrífugas, beneficiando o médium, trazendo-lhe tranqüilidade e paz, e, o que é mais importante, o conhecimento de todo este complexo sistema, sensível à percepção sensorial e extrasensorial.
O ectoplasma é o portador das energias emitidas pelo médium. Não é o seu canal de vibrações, mas sim das energias e forças efetivamente produzidas de acordo com as condições do Sol Interior do médium.
O médium desenvolvido e que não trabalha regularmente, que fica muito tempo fora da Lei do Auxílio, corre o risco de adoecer, porque é com o seu trabalho e com os seus sentimentos que alimenta seu sistema nervoso, manipulando a energia de seu Centro Coronário, que mantém o equilíbrio de seus órgãos e realiza curas em seu próprio corpo.
Quando emitimos a chave “Salve Deus!” aglutinamos forças de proteção do nosso Sol Interior.


Enviar um comentário