segunda-feira, 11 de maio de 2015

Quero Equilibrio


Ao buscar sentir sobre o quê escrever nesta manhã, sentindo já o peso da responsabilidade por estar com a “caixa de entrada” cheia de emails, comecei a recordar de como minha vida mudou no último ano. Sentindo um imenso amor me envolver, retirando-me do turbilhão de compromissos que vêm à cabeça no planejar o dia.

Um amor intenso, repleto de boas energias e vibrações, que traz a certeza do caminho estar sendo trilhado com segurança e objetivo claro. Que impede que os problemas naturais do cotidiano e da convivência com tantas pessoas, tornem-se dignos de nota.

Este Amor está disponível para todos! É possível despertar o Espírito, a Individualidade e sentir-se parte integrante e ativa da mudança pela qual nosso planeta está passando, e de forma positiva.

Somos médiuns! Temos um Karma “pesado” - por isso a condição mediúnica, não é mérito, é necessidade - e também somos missionários!

Temos em nossas mãos a oportunidade de ultrapassar nossos grandes compromissos, superar nossos reajustes e ainda semear muito a ser colhido quando retornarmos ao plano espiritual.

Temos também a possibilidade, arrisco dizer “a obrigação”, de sermos felizes! Basta que compreendamos um pouquinho que este plano físico nos oferece a intensidade dos sentimentos humanos a serem encarados de forma positiva.

Pagar as dívidas” apenas faz parte da jornada pedida e planejada. Os reajustes, reencontros, se aproximam, se concretizam e devem findar com o reequilíbrio. Nenhum, repito, nenhum médium vem a este plano para ser infeliz ou apenas acertar suas contas... A condição mediúnica proporciona a possibilidade de ir muito além, pela prática da caridade, pela oportunidade de fazer o bem a aqueles que “não tem nada com nosso karma”.

Muitas vezes, preocupados com nossas vidas, com os problemas, com dinheiro, trabalho, saúde, acabamos indo ao Templo em busca de ajuda. Vamos chorar nossas mazelas e pedir socorro aos nossos Mentores... Mas não deve ser assim!

Temos que ir ao Templo apenas para cumprir a missão, vamos para servir, para pedir pelos outros, desconhecidos, encarnados e desencarnados, que desesperados e sem esclarecimento, não têm nada nas mãos além da esperança de ainda encontrar esperança...

E os nossos problemas? Salve Deus!

Tudo que precisamos realmente fazer é “nos permitir ser ajudados”. Nossos Mentores (Pretos Velhos, Cavaleiros, Guias, Princesas, Ministros, etc, etc) querem muito nos ajudar! Querem que você possa ser feliz, independente de seu karma e do que ainda tenha que reajustar. Mas só podem nos auxiliar se nosso padrão vibratório permitir! Temos que estar em condições de receber!

Por isso, se vamos ao Templo realmente para servir, se deixamos nossos problemas do lado de fora da porta e nos dedicamos verdadeiramente a servir ao próximo, a praticar a Lei do Auxílio, que reza pela caridade a aqueles que nos são confiados, não pela ligação, mas porque podemos auxiliar sem nada esperar em troca; nossos pensamentos se libertam! Nosso padrão se eleva ao ver (sentir) o irmãozinho sendo encaminhado, ao ver as lágrimas do paciente agradecido, ao compreender que a maioria não teve a mesma coragem de assumir uma missão além do cumprimento de seus reajustes.

E... Ao elevar nosso padrão, permitimos que nossos Mentores nos auxiliem! Passamos a naturalmente atrair coisas e pessoas boas. Nossa aura muda e os caminhos fluem com naturalidade. O emprego inesperadamente aparece, o dinheiro deixa de faltar (difícil sobrar para um Jaguar que tanto mal uso já fez anteriormente), e a promessa de nosso Pai pode ser cumprida: “Nada lhe faltará no cumprimento desta jornada”.

Pode parecer muito difícil esquecer os problemas, mesmo que por apenas alguns momentos. Mas no Templo, não é você, o ser humano! É a Individualidade, o espírito com experiência transcendental que já passou por situações bem piores em tempos onde tudo era mais doloroso, difícil e demorado.

Não tem magia, oração, trabalho especial, força de Adjunto, ou qualquer outra fórmula que vá “dar jeito em sua vida” sem que você aprenda a controlar seu padrão vibratório! Tem que aprender a pensar positivo, ver as coisas com os olhos do espírito e compreender que somos fruto do que emitimos, do que pensamos, do que semeamos.

Eu não queria muito... Só um pouquinho de estabilidade material e familiar para poder me dedicar mais ao trabalho espiritual”... Salve Deus! Mas não é isso que todos querem? Quem é melhor que o outro para receber assim “de mão beijada” a estabilidade e o equilíbrio?

A estabilidade e o equilíbrio vem de dentro para fora! Vem do espírito consciente, que vibra positivamente! Vibre assim, o máximo que puder, e permita ser ajudado.

Kazagrande
Enviar um comentário