quinta-feira, 14 de maio de 2015

A doutrina não se vende e não se compra, ela se conquista!


Salve Deus!
A doutrina não se vende e não se compra, ela se conquista!
Todos sabem ou ouviram falar sobre os vales negros, pois é um lugar muito distante em pensamento por onde espíritos sem luz vivem seus momentos mais atrasados pela existência cristã. Ao viajar por estes caminhos tortuosos e cheios de senões, de maledicências, de provações a cada segundo da terra, vejo que somos pequenos seres em busca de luz. Mas o que mais me chama a atenção neste momento é a existência de um vale negro dentro do amanhecer. Sim, jaguar, se criou uma fenda dentro do solo sagrado que está induzindo velhos companheiros a vender consagrações e ganhar dinheiro com esta negociação. Quem quiser ser consagrado ou reconsagrado deverá pagar por isso. Não é assim que funciona no amanhecer de Pai Seta Branca e de Tia Neiva. Aqui para se merecer uma consagração tem que trabalhar muito, suar seu colete, e não ficar esmolando pelos cantos a sua escalada. Nos velhos tempos era preciso muitos anos de doutrina para se chegar a Arcano e agora o que vemos é uma leva de plaquinhas sendo exibidas por aí como um troféu, uma marca registrada de uma empresa. Do que adianta ter uma plaquinha se ela não condiz com sua conduta, com sua evolução.
Não sei a quem pode fazer mais mal, ao que recebeu ou a quem entregou”. Tia Neiva.
A criação desta porta dos vales negros em solo sagrado está destruindo a essência divina de nossa missão, pois a contaminação de espíritos sem procedência atua de forma a horizontalizar as forças, coisa que somente a verticalização traduz esta chama iniciática da nova era. Não podemos abrir mão da nossa dimensão, pois o valor pago por uma consagração é remetido ao seu expurgo espiritual. Quem vendeu pagará seu preço e quem comprou deverá arcar com sua responsabilidade.
Eu sei que muitos jaguares mereceram esta condição arcana por sua posição nesta missão, mas muitos que ainda estavam gatinhando foram colocados em uma parede viva para receber as pedras do seu destino. Os joguetes das ilusões. Pensando estarem certos cometem o erro.
Eu subi esta noite, tinha uma missão aqui na minha família. Preparar uma renovação missionária que irá dar continuidade ao sacerdócio que tanto luto para manter em pé, mesmo contrariando as vozes cármicas das cobranças sobre caindo em minha vida. Eu luto pelo que eu conheço e não pelo que as pessoas dizem, pois nenhum cego pode guiar outro cego. Estou entrando no meu quinto ciclo com coragem e liberdade que Pai Seta Branca me confiou, estou respondendo a ele a minha missão de organizar estes corações perdidos pela falta de direção.
Aqui não existe idolatria ao Deus pagão, más ao verdadeiro senhor deste universo. Eu convivo diretamente com a terra e com o mundo espiritual. São duas portas distintas que se forem trabalhadas no alinhamento mediúnico podemos ter certeza de nossas ações.
Eu fico estarrecido ao ver a morte frente a frente encostada nas costas das pessoas que me procuram. Eu não posso identificar pelo medo da aceitação e também não posso induzir as pessoas ao compromisso cego. Todas devem aceitar a sua missão com amor, com dedicação, não somente porque eu falei para desenvolver. Isso nunca, porque muitas vezes uma pessoa desenvolve sua missão e depois se afasta indo buscar outros caminhos. Ela somente tinha uma passagem pelo amanhecer para conhecer o evangelho, mas seu destino estava em outra caminhada. Quem convida são os mentores que sabem o que ela precisa.
Não devemos se preocupar com quem entra ou sai pela porta”. Tia Neiva.
Não insista em querer números, pois são somente números e nada mais. O bom missionário é aquele que chega disposto a arregaçar suas mangas e trabalhar, porque para ele a caridade é que importa. Ver o bem e ver a felicidade nos olhos do próximo, mesmo que os seus estejam cheios de farpas. Isso que é sentir-se feliz ao ver o seu irmão feliz. Não existe milagre maior que sentir que você está sendo instrumento de Jesus para aliviar os corações sofridos pela derrota, pela angustia e pela dor.
Eu vejo em cada irmão deste templo a sua caridade que não tem fronteiras no espaço ocupado pelo seu amor, isso que eu chamo de amor, de se entregar honestamente ao mundo para saciar a fome e a sede de justiça. Todos só procuram justiça e esquecem que foram justiceiros. Olhem pelo lado luminoso de suas vidas e verão que tudo isso é uma ilusão temporária da necessidade temporal.
Quando todos estiverem bem afinados com suas missões os cantos atravessarão as cordilheiras encantadas e as energias em grandes blocos como se fossem flocos de neve descerão dos Himalaia. Este será o futuro alimento da humanidade. Não haverá matéria solida, mas somente os manjares da eternidade sendo saboreados pelos trabalhadores da ultima hora.
Não se torne escravo da doutrina, porque ela não veio para escravizar, ela veio para libertar. Quando te cansares de procurar saiba que existe um cantinho bem pertinho em que chama branca da vida está acesa.
Salve Deus!
Enviar um comentário