terça-feira, 3 de março de 2015

Nossos principios Doutrinários

 
Meus irmãos e minhas irmãs,
Salve Deus!

Todos nós, no transcurso de nossas jornadas missionárias, vamos formando “Princípios Doutrinários Pessoais”, ou seja, nossa interpretação própria da missão que cumprimos junto à Doutrina do Amanhecer.

Não falo dos Princípios Originais, aqueles deixados por Tia Neiva, que tratam de nossas Leis, Chaves, Orientações Ritualísticas e Hierárquica, que devem ser preservados a qualquer custo. Mesmo com as considerações das responsabilidades e intuições dos Adjuntos de Povo, que possuem “certas regalias”.

Falo da maneira como vemos a nossa jornada pessoal na execução de nossa missão!

Nossa maneira de interpretar, porque cada ser humano possui sua ótica formada em acordo com as próprias experiências pessoais, é que determina o grau de comprometimento que temos. Podemos ser aquele médium que apenas cumpre  sua missão, realiza seus trabalhos, colabora com a estrutura física do templo e não se importa com qualquer outro fato doutrinário; ou sermos aqueles que, por um compromisso espiritual, precisam se envolver nas decisões doutrinárias que afetam a todos.

Para os que, pela necessidade de seus karmas, encontram-se na posição de liderança, sejam como Trinos, Adjuntos, Comandantes, Primeiras e Regentes, a responsabilidade é maior! É um compromisso coletivo que precisa ser direcionado pelos princípios do caráter espiritual que possuem, desperto ou não.

O apoio à determinada ideologia vai pela afinidade com os objetivos de cada liderança.

Embora nunca tenha me manifestado a respeito de nenhuma “facção”, mesmo porque considero a Doutrina do Amanhecer por inteiro, respeitando nossa hierarquia da maneira como foi deixada por Nossa Mãe Clarividente Tia Neiva, expresso minha conformidade em cumprir a jornada que me é confiada.

Ser fiel aos Princípios Doutrinários Originais está acima de minha interpretação pessoal.

Acredito nas palavras, mas fundamentalmente observo as ações! Porém não basta observar as ações, é preciso também procurar entender e compreender nossos líderes. Ter real conhecimento da vida que levam e da missão que cumprem, para chegar a uma conclusão, que levará à “Fidelidade de Princípios”.

A maioria de nós nunca teve a oportunidade de se aproximar dos líderes encarnados de nossa Doutrina, e julgam apenas pelo “achismo” e pelo “ouvi dizer”. Isso é triste, porque não devemos expressar opiniões do que não temos certeza. A certeza reside em nossa experiência pessoal e não na ótica do outro.

Em minha jornada somente me decidi pelo que vivi! Assim como até hoje só escrevo das coisas que pelas quais passei, pedindo a Jesus que “fira-me se meu pensamento se afastar de Ti”.

Embora não comente, minha posição é clara! Não podemos ser os que concordam com tudo ou que vivem de migalhas que caem da mesa do Rei. É preciso ser consciente, conhecer e compreender aqueles que possuem a missão de estar a frente, para então dar apoio aos princípios que acreditam, ou não... Por esta consciência, sigo minha missão! Por esta consciência, pelo que sei e vivi, tenho a mente clara em meus princípios doutrinários pessoais. Salve Deus!

Kazagrande
Enviar um comentário