segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

A Doutrina e a vida material


A DOUTRINA E A VIDA MATERIAL
Salve Deus
A busca do homem por sua identificação espiritual e consequente evolução tem sido uma constante em nossos dias . A medida que seu conhecimento sobre a ciência tem ampliado, da mesma forma, os fatos chamados espirituais tem sido desmistificado e incorporado em sua forma de ver e viver portanto, a busca de resposta tem levado esse homem a melhorar seu relacionamento com o todo que lhe rodeia.
Já partindo para o princípio da aceitação e vivência desse modo de vida, o desafio é compatibilizar essa disponibilidade religiosa ou doutrinária com a vida material.
No conceito universalista, evolução tem um sentido bem mais amplo e deve ser feito em todos os sentidos. A penitencia, a auto-flagelação e a vida reclusa já não é sinonimo de alcance e evolução espiritual. Muito embora, a abnegação de si mesmo é uma demonstração de desapego material portanto, vamos direcionar esses conceitos para a doutrina do amanhecer para tentarmos entender como nós os vemos e aplicamos em nossas vidas.
Segundo definição de nossa Clarividente os pontos primordiais a ser seguido em nosso meio são:
A Família, a vida material depois a doutrina.
Família:
Nem sempre a família física é a mesma espiritual. Existe dois tipos de laços que unem as famílias na Terra.
Família espiritual:
É aquela em que todos os indivíduos contidos nela têm um laço afetivo bastante acentuado e estão na mesma sintonia. Pode até haver discussão mas há um respeito e cuidado integrado entre os membros que direcionado ao bem comum de todos. Assim como, há uma preocupação com o aspecto espiritual ou religioso, e isso independente da forma e credo de cada um.
Família cármica:
É aquela em que os membros, embora ocupem o mesmo espaço, não tem nenhuma sintonia entre os mesmos. O comportamento agressivo e mesmo patológico é um fato constante, esses desvios chegam ao nível de cobranças entre os membros cujo desfecho pode ser trágico. Esses desvios pode ser na verdade uma forma de cobrança espiritual , pode também acontecer de estar presente em um deles “um missionários” cuja função ou missão é justamente promover ou tentar equilibrar os outros membros. Esse tipo de situação cármica pode descambar para obsessões que devido a tónica pesada densa, pesada atrai ainda mais outros parentes (desta vez desencarnados) tornando ainda mais difícil a convivência.
Vida Material:
Há um ditado popular um tanto interessante que nos diz:
É muito difícil rezar com a barriga vazia”
Também é sabido que ter bens materiais não é sinal de transgressão espiritual, muito embora Jesus tenha afirmado que é mais fácil um camelo(era uma corda usada para amarras em uma embarcação) passar por um fundo de uma agulha que um rico entrar no céu,bens materiais adquiridos de maneira honesta ou fruto de trabalho contribui para a harmonia das pessoas.
Fica muito complicado o médium que deixa sua família e sua vida material de lado para dedicar inteiramente a doutrina, primeiro para estar na doutrina demanda custos com uniforme, alimentação transporte etc.
Por outro lado há de considerar a responsabilidade assumida com os familiares no sentido da educação e formação da personalidade. Um lar isento de dos pais é conhecido como um sinal de desajustes psicológicos, principalmente pelos filhos que sofrem pela falta de assistência paterna ou materna.
Estar presente no Templo onde o homem consegue manipular sua mediunidade é algo que o ajuda a resgatar suas dividas espirituais e compensar os desmandos de suas heranças transcendentais, mas essa situação não pode interferir ou atrapalhar sua vida com seus familiares criando cobranças e desequilíbrios com os seus, mesmo sabendo que a manipulação de correntes negativas pesadas entre eles, onde o bom senso é o elemento primordial para adquirir essa evolução espiritual.
É sabido também que cultura não é sinal de sabedoria, mas também é sabido que a cultura auxilia o homem a raciocinar evitando que o mesmo caia nas armadilhas de espíritos e de pessoas que aproveitam da boa vontade de muitos.
Sabemos que o assunto é complexo e aqui vimos apenas a parte superficial do mesmo, deve prevalecer sempre o bom senso e o que chamamos de razão doutrinária que é justamente esse equilíbrio.


Gilmar Adjunto Adelano
Enviar um comentário