sexta-feira, 7 de março de 2014

Corrente Mestra

CORRENTE MESTRA

Um dos passos mais importantes em nossa vivência doutrinária foi a conquista da Corrente Mestre.

Com ela obtivemos o gabarito dos Trabalhos Iniciáticos, afirmando assim o real motivo de nossa Iniciação. Sem ela, não seria necessário que realizássemos a Iniciação Dharmo Oxinto.

A Corrente Mestre requer manutenção com compromisso, seriedade, respeito e não admite fantasias. É uma força precisa que atende de acordo com a real necessidade e responsabilidade afirmada por todo um Corpo Mediúnico.

É muito melhor manter um Templo Evangélico, um Pronto Socorro, do que assumir o compromisso da Corrente Mestre sem condições de cumprir fielmente.

Para ter o direito de invocar a Corrente Mestre, um Templo deve ter em funcionamento os Trabalhos Oficiais, nas quartas, sábados e domingos, com a disponibilidade de uma escala de Três comandantes para o Radar e com funcionamento garantido da Mesa Evangélica.

A sustentação da Corrente é mantida pelo funcionamento da Mesa Evangélica.

A Corrente Mestre é a força extra cósmica de Tapir, que se projeta e chega através da Pira, e se estabelece em cada Sanday ou setor de trabalho, de acordo com suas efectivas necessidades.

Ela flui da Pira até o Pai Seta Branca, volta, passa pela Pira, e vai até à porta do Templo, retornando à Pira, formando uma trança luminosa, oscilante como um pêndulo. Dispõe de 108 Mantras (diferentes dos 108 Mantras de Koatay 108) para serem usados na Lei do Auxílio. 

Em todos os trabalhos no Templo é manipulada e projectada, actuando cruzada com outras forças, mas seu volume é sempre maior, principalmente nos dias de Trabalho Oficial. Nos Retiros ela se faz presente, também, sendo renovada e reforçada em cada Intercâmbio.

Ao emitir a Chave de Abertura, os comandantes a invocam com maior ou menor intensidade, dependendo das condições da Presidência do Trabalho, dos médiuns e da sua real necessidade.

Emitindo suas vibrações de Luz, a Corrente Mestre atende a todos que estão presentes – médiuns, pacientes e até mesmo os visitantes.

A presença da Corrente Mestre permite a realização dos Trabalhos Iniciáticos, mas estes podem ou não ser realizados, o mais importante é que a sustentação, através da Mesa Evangélica e da sintonia dos Mestres Escalados para o Radar, seja mantida!

Invocar a Corrente Mestre sem dispor das condições reais para mantê-la tem um preço a ser pago por todos os médiuns que se comprometeram com sua manutenção. Por isso, esta decisão, de solicitar a autorização para invocá-la e mantê-la, deve ser pedida em consonância com todo o Corpo Mediúnico, que compreende assim o quanto de responsabilidade está envolvida.

A Corrente Mestre não é a conquista de um novo patamar apenas, é sim a afirmação do compromisso missionário de todo um povo envolvido em mantê-la, respeitá-la ou... pagar por ela!

No encerramento, a Corrente Mestre distribui para os médiuns presentes no Ritual, os bônus conquistados pelos Trabalhos realizados.

Kazagrande

Enviar um comentário