quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Polaridade

                                             Polaridade

A polaridade indica a diferença de potencial energético entre dois pontos. Há sempre necessidade desses dois pontos - polos - para ser gerada uma força, que é o movimento da energia.

 
Na Terra, intensos movimentos magnéticos ocorrem entre o Polo Norte e o Polo Sul, agindo sobre inúmeras atividades do planeta.
 
A ideia de positivo e negativo é simplesmente para indicar o que tem maior força de uma natureza e o que tem menor. Nada existe de pejorativo quando, na nossa Doutrina, aprendemos que o Homem é polo positivo e a Mulher é polo negativo, tanto faz que sejam Doutrinadores ou Aparás, pois, com isso, estamos entendendo que o Mestre tem maior carga magnética animal e a Ninfa a tem em menor quantidade, com um plexo mais suave e terno, mais harmonizado com os planos superiores, com o amor e a sensibilidade, enquanto o Homem é mais racional e violento, mais submisso às forças da Terra.
 
Por isso não deve a Ninfa Lua trabalhar com uma Ninfa Sol, embora possam trabalhar dois mestres - um Sol e um Ajanã, pois estes constituem uma dupla de pólos positivos, isto é, mais fortes e resistentes aos impactos de poderosas forças que podem atuar durante um trabalho, o que seria desastroso caso agissem sobre os plexos de duas ninfas, com plexos mais sensíveis.
Na China antiga existiu um sábio – Fu-Hi – que estabeleceu diversas teorias que muito influenciaram as linhas orientais. Ele observou a alternância do dia e da noite, do frio e do calor, da luz e da escuridão, concluindo que toda força chega ao ápice e então se transforma numa força igual e contrária. Assim, o bem traria em si o mal. Fu-Hi listou grande número de oposições de forças em duas categorias e disse que, ao nascer, o Homem teria dois tipos de energia, divididas entre as partes frias e quentes do seu corpo: Yin e Yang. Ao se tornar adulto, a energia quente - Yang -  já se concentra na parte superior do corpo, envolvendo as partes vitais: o cérebro, os pulmões, o coração e o fígado; a energia fria - Yin - já se localizou no baixo abdômen, nos genitais e nas pernas. Para existir a polaridade, observam-se os opostos: Yang - a energia masculina, luminosa, solar, ativa, resistente, dotada de claridade, calor, plenitude, positividade, ascendente e ativa, como o fogo - contrapondo-se a Yin - com as características femininas, da água, fria, profunda, obscura e passiva, flexibilidade, passividade, doçura, fragilidade, vazia e negativa.
 
A transformação rítmica e manifestação alternada dessas duas linhas marcariam a nossa vida:
 
Yang x Yin;                                                              Sol x Lua;
Céu x Terra;                                                             Dia x Noite;
Calor x Frio;                                                            Rígido x Flexível;
Rápido x Lento;                                                      Exterior x Interior;
Cheio x Vazio;                                                        Subida x Descida;
Superficial x Profundo;                                         Movimento x Repouso;
Centrífugo x Centrípeto;                                       Expansão x Contração;
Leve x Pesado;                                                        Masculino x Feminino;
Animal x Vegetal;                                                  Criativo x Recetivo;
Insónia x Sonolência;                                             Otimismo x Pessimismo;
Alegria x Tristeza;                                                  Coragem x Medo;
Circulação Arterial x Circulação Venosa;          Dorso x Ventre;
Espasmo x Flacidez;                                              Atividade Mental x Estrutura Material;
 
Sistema nervoso simpático x Sistema nervoso parassimpático;
Processos agudos x Processos crónicos; etc.
 
Existe, ainda, uma escala de vibrações superiores e inferiores, que influenciam nosso padrão vibratório por sua polaridade, gerando situações que podem envolver nosso plano mental de forma construtiva ou destrutiva.
 
A polaridade se mantém em uma permanente intermutação, fazendo com que nada seja completa ou definitivamente Yang ou Yin, obedecendo ao princípio – Tao – de conflito, harmonia e complementaridade dessas duas forças.
 
A cada dia nossas responsabilidades estão aumentando e, por isso, é preciso ficarmos cientes da vida fora da matéria. É muito fácil o espírito dela se compenetrar, porém não é fácil se adaptar!
Nos mundos espirituais ou mundos fora da matéria, a vida se compõe de positivo e negativo, isto é, homem e mulher.
O espírito do homem continua homem e o espírito da mulher continua mulher. Apesar de ser afirmado por alguns iniciados que o espírito não tem sexo, os meus olhos dizem o contrário.
A adaptação do Homem na vida fora da matéria é difícil porque sente muita saudade de suas coisas e dos seus entes queridos, nas suas conceções másculas de Homem terreno, isto mesmo com o amor dos puros (força de expressão).

Os espíritos libertos vivem em suas dimensões e se amam... Se amam com a ternura dos anjos!” (Tia Neiva, 26.6.65)
Enviar um comentário