terça-feira, 11 de setembro de 2012

Pai Joaquim das Cachoeiras - Mensagem de set/2012

 
Meus filhos, é preciso entender que a vida do espírito encarnado neste plano físico é feita de ciclos. Neiva vos ensinou sobre os ciclos de roupagens de oitenta dias, para que entendessem que as energias estão sempre em movimento e mudando sua tônica.

A evolução somente pode ser avaliada quando conseguimos encerrar um ciclo e seguir adiante sem mágoas e lamentações. É necessário entender os momentos de encerramento. Até mesmo quando uma cobrança realizada no Amor de Jesus, com a energia reequilibrada sem novas marcas e decepções, apresenta o momento em que tudo deve acabar. A energia de outrora, o charme, foi manipulada e o ciclo se fechou. Não há porque sofrer!

Somente sofremos pelos nossos apegos, pelo nosso orgulho em não querer abrir mão do que já não nos pertence mais.

Seus Mentores, muitas vezes, vendo a dificuldade que possuem em fechar uma porta, entreabrem uma nova passagem, permitem que um pequeno raio de luz seja vislumbrado de outra direção, para facilitar o necessário fechamento. Mas, mesmo assim, quantos insistem em se manter envolvidos em um ciclo claramente encerrado, retardando a própria evolução e arriscando contraírem novas dívidas, onde já haviam reajustado.

Somente fechando uma porta é que a outra se abrirá por completo. O teste final é sempre na sua capacidade de desapegar-se e seguir em frente. Afinal, meus filhos, não é assim que se passa quando deixamos a roupagem física? Quantos irmãozinhos encontramos, todos os dias, nos Tronos por conta de terem ficado vagando por este plano junto aos seus apegos? Apegos sentimentais, materiais, não importa o motivo e nem a intensão, se é apego, não pertence ao espírito, não pertence à evolução. No Plano Espiritual as razões se encontram e nos perdemos de nossos amores terrenos por conta do padrão vibratório e do nível de evolução de cada um. As coisas físicas, os bens materiais, ficam para trás e somente a riqueza espiritual, conquistada nas provas do encarnado é que persistirão na nova vida que se abre.

Meus filhos! Não tenham medo de encerrar seus ciclos. De começar de novo e partir para novas conquistas. Estão aqui para libertarem das cobranças e não para apegarem-se a elas. Mesmo quando passam com sucesso e amor!

Olhem sempre para frente e entendam que a verdadeira vida está lá, lá na frente. Aqui somos apenas passageiros em uma viagem com muitas paradas.

Paguem suas passagens, observem as paisagens e desçam na estação marcada. Pois se passagem do ponto de desembarque, terão que comprar outra passagem, e as vezes este trem está tão cheio...

Salve Deus! Que a Luz Bendita de Nosso Senhor Jesus Cristo vos ilumine e lembrem que a força das águas, vibrantes, cristalinas, não se detém frente os desníveis dos encontros dos rios, e sim formam as mais belas cachoeiras.

Pai Joaquim das Cachoeiras
Setembro de 2012
Enviar um comentário