segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Os Sandays são Casas Transitórias





Meu Filho Jagua,
Salve Deus!

No campo de mediunidade muito pouco poderemos falar. Falemos então, nas duas forças básicas existentes no Mestre Jaguar, em suas formas distintas.
Sabemos que o Apará é a Força Vibratória e o Doutrinador é Força Básica de sua manifestação silenciosa, porém concreta.
O Apará em sua força vibratória fica limitado a trabalhos de comando, isto é, quanto mais forte a faculdade mediúnica de um 5º. Yurê, mais ele entra nas sete linhas de Olorum, é então, Deus na sua grandeza infinita.
Meus filhos, vamos falar agora na grandeza que acabamos de receber; os Sandays. Os Sandays são casas transitórias enormes que repousam perto de Capela e espalham suas estrelas luminosas.
Aqui no Templo, nos Sanday, existem três Oráculos que já estão em preparação para o III Milênio, que são: Oráculo de Semiromba, Oráculo de Olorum e Oráculo de Obatalá.
Destes Oráculos partiram 21 (vinte um) Sandays, ou seja, 03 (três) falanges que se encontram à minha mercê, à mercê de Koatay 108, e nesta força decrescente, nesta contagem, vinte e uma estrelas denominadas a cada mestre, porém, numa hierarquia.
Cada mestre tem a sua distribuição própria, a sua origem e a sua tribo. Deixo bem claro, que todos nós somos de uma mesma tribo, porém, muitos mestres se comprometem com outros que não são da sua tribo, da mesma origem. Poré, nós respeitamos a sua energia, o seu ectoplasma. A força sendo a mesma, cada uma tem a sua precisão para cada trabalho: Harpásios, Sívans, Vancares, Cautanenses, etc.. Vancares e Cautanenses. Por quem estamos aqui e devemos todo este esclarecimento.
O 5º. Yurê Vancares ou Cautanenses, após receber a instrução de sua estrela, terá a força necessária e precisa para certos comandos. No entanto, um 5º. Yurê ou mestre Lua, não pode sentar-se sozinho numa Cassandra, porque ele entra nas sete linhas de Olorum e vai formando a sua vibração fluídica, podendo assim atrapalhar todo o comando de um Trabalho Oficial.
Meu filho Jaguar, hoje é só o que te posso dar.

Com carinho a mãe em Cristo,
Tia Neiva
Vale do Amanhecer – 13/08/82

( este texto está conforme o original, escrito por Tia Neiva )
Enviar um comentário