quinta-feira, 8 de maio de 2014

Dominando os Pensamentos



Grande parte dos problemas pelos quais sofremos são criados a nível mental. Na verdade a maioria sequer existe ou chega a existir.

Temos uma tendência infelizmente natural a imaginar e fantasiar coisas negativas que não existem, conjecturando negativamente a respeito de nosso futuro e das possibilidades de “algo dar errado”.

Porém, não existe nenhuma necessidade de ficarmos sofrendo por antecipação, ou mesmo ficar remoendo pequenas situações que nos incomodam no dia a dia. Principalmente quando estas situações envolvem outras pessoas, pois “vibrar” no outro, consciente, ou inconscientemente, tem um custo! Afinal, a energia emitida jamais se perde, ou  chega ao seu destino ou retorna a sua origem... Vamos refletir sobre isso!

Não sabemos os reais motivos que levam uma pessoa a ser desagradável conosco. Quantas vezes você mesmo já foi “julgado” por atitudes ou palavras que falou em um momento difícil? Não sabemos dos dramas pessoais e dos enredos kármicos dos que nos cercam, por tanto, é sempre melhor considerar a máxima de que ninguém é mau! A pessoa, ou o espírito pode “estar mau”, devido ao que tem vivido, mas Deus não criou ninguém absolutamente “malvado”. Você também já foi “malvado” ou ao menos considerado mau em algum momento de sua vida...

Foi maltratado? Passou!!! Deixe no passado o quê já pertence ao passado. Perdoe e esqueça, não importa quão grande possa ter sido a ofensa, pois vale a pena semear o perdão que você mesmo precisará ao encontrar com seus cobradores.

Remoer as situações jamais trará alguma solução, e pior: não fará bem a nós e nem a nenhuma pessoa que convive com a gente.

Sofrer por antecipação é outra crueldade que impingimos a nós mesmos... Não vale a pena! Nossa mente tem uma capacidade terrível de ficar criando situações nefastas que normalmente não acontecem, isso sem contar a presença de irmãozinhos que ficam insuflando mais pensamentos negativos. Dar vazão ao sofrimento antecipado é no mínimo burrice (me perdoem), pois tudo pode sempre mudar e até mesmo seu destino kármico pode ser mudado pelo seu comportamento, pela sua prática na Lei do Auxílio!

Concluindo, ainda é preciso lembrar a nossa triste tendência de “absorver” o problema do outro. Temos que manter nosso equilíbrio face aos problemas que os outros nos apresentam e jamais permitir que o desequilíbrio alheio nos contamine. E principalmente ajude quem quer ser ajudado! Não vamos sair por aí trazendo os problemas os outros para nossas vidas.

Em nossos relacionamentos discussões aparecem, mas não devem ser objeto de pensamentos tristes todo o dia. Controle-se, espere o momento para poder conversar, respeite o tempo de absorção do outro, que pode ser maior que o seu. Nem sempre da para resolver tudo na hora. As vezes é preciso permitir que o outro reflita com a “cabeça fria” para só então mostrarmos o nosso lado da história.

Kazagrande
Enviar um comentário