terça-feira, 24 de setembro de 2013

2º. Passo Iniciático - Elevação de Espadas

                    2º Passo Iniciático - Elevação de Espadas

A Elevação de Espadas é o cruzamento de forças iniciático-evangélicas que projeta no médium os poderes de Adones, somando-se aos raios de Eridan, que recebeu no Desenvolvimento, e de Oner, quando de sua Iniciação, formando potente conjunto de forças desobsessivas.

 

Segundo Pai Seta Branca (31.12.76), “cada espada que se ergue é uma esperança na conquista de uma Nova Era e é por ela que Jesus vem impedindo a força dos irrealizados cavaleiros milenares que vêm cavalgando na ira de uma vingança desproporcionada.”
 
Koatay 108 determinou que um médium só deveria fazer a Elevação de Espadas após, no mínimo, três meses após ter feito a Iniciação, devendo fazer o curso preparatório de quatro aulas conforme roteiro do 1º Mestre Jaguar, datado de 17.3.81.
 
Em abril de 2003, o Trino Arakém determinou que este segundo passo iniciático só poderá ser realizado após o médium ter 16 anos.
 
Nesse ritual há que se saber a parte mais marcante, quando o médium Doutrinador chega diante da representante de Koatay 108, que está com a espada, enquanto o Apará se coloca do outro lado do Aledá, para se ajoelhar na almofada, cada um portando sua rosa.
 
A representante de Koatay 108 entrega a espada ao Doutrinador, dizendo mentalmente: (…)
O médium recebe a espada e a eleva por sobre a cabeça da representante de Koatay 108, que diz mentalmente: (…)
 
Em seguida, o médium se volta, pelo lado esquerdo, de frente para a Mesa Evangélica, e eleva a espada a Jesus, emitindo com segurança, em voz alta: (…)
 
Este ato simboliza a fé, a luta e a determinação do médium em prosseguir sua jornada com amor, tolerância e humildade.
 
O Doutrinador baixa a espada, volta-se por seu lado direito, entregando a espada à ninfa da corte que o aguarda.
 
O Apará se ajoelha e o Doutrinador se dirige até ele, enquanto Koatay 108 mentaliza: (…)
 
O Doutrinador faz o convite à entidade do Apará, que incorpora. O Doutrinador faz a troca das rosas, dando a que levou ao Apará e pegando a dele. Em seguida, faz a elevação daquele espírito.
 
Existem questionamentos sobre se fazer a elevação de um Espírito de Luz. Mas, na nossa Doutrina, tudo é correto e tem uma razão de ser. Isso pode ser visto na parte sobre ELEVAÇÃO com maiores detalhes, mas, apenas para o aspeto da Elevação de Espadas, naquele momento o Mentor do Apará se vale da força da elevação do Doutrinador para desincorporar, levando consigo qualquer impregnação que, porventura, existisse no plexo do médium e que poderia prejudicar sua consagração.
 
Ao começar seu curso para a Elevação de Espadas, o médium deve participar da Estrela de Aspirantes ou Estrela Aspirante, que é a Estrela Candenterealizada para treinamento dos mestres e ninfas, e que foi estabelecida por Mãe Yara dentro de importantes condições: tem o comando de um Ajanã e tem que sair do Turigano para a Estrela conduzida por uma corte, que protege os seus integrantes.
 
Ao encerrar o trabalho, a corte traz de volta os participantes até o Turigano, onde é feito o encerramento, na Chama da Vida, não havendo entrega de energia, uma vez que não está o médium não elevado em condições de receber as energias da Estrela Candente. Há, tão somente, a projeção da amacê, harmoniosa e proporcional à capacidade dos chakras de cada um dos participantes, das energias CassutoCatuso e Muruã.
 
Após sua Elevação de Espadas, o médium pode usar sua indumentária completa, podendo trabalhar dos Sandays e, o que é mais importante, assumindo o compromisso de participar, pelo menos uma vez por mês, das consagrações da Estrela Candente, exceto aqueles de Templos Externos.
 
Em abril de 2000, os Trinos Presidentes decidiram que as ninfas das falanges missionárias das Nityamas e Samaritanas não podem mais fazer a Elevação de Espadas com suas indumentárias de falange, como vinha acontecendo, devendo fazer aquela consagração trajando indumentária de escrava.
 
O anel de pedra preta, usado na mão esquerda, significa que o portador teve a consagração da Elevação de Espada e está apto para manipular as energias neutras e a trabalhar na Alta Magia de Nosso Senhor Jesus Cristo.
 
Compromisso do Médium
 
Meu filho, Salve Deus! Quis a vontade de Deus me colocar diante de vós, por quem jurei os meus olhos e entreguei a bem da verdade. E agora, assumindo este imenso compromisso, é pela vontade de Deus, também, que jurais, vos comprometendo a servir, com todas as honras deste Mestrado. E, se vos convier, pensai, assinai e entregai-me. Se um dias as vossas forças vos faltarem, entregai, também, honrosamente, este compromisso. Tia Neiva”.
 
A Elevação de Espadas é o cruzamento de forças iniciático-evangélicas e é, também, para a abertura dos Sandays o poder iniciático.” (Tia Neiva, Lei Dharman Oxinto, 17.5.84).
 

Os Trinos Presidente Triada comunicam aos Mestres Devas e Instrutores da Elevação de Espada: a partir da presente data, ficará o Adjunto Alzat - Mestre Queiroz - responsável pela “apresentação” e “autorização” do médium para o ritual de Elevação de Espada; os Instrutores de Elevação apresentarão os médiuns ao Mestre Queiroz após a conclusão das aulas e este emitirá uma autorização encaminhando o médium para o Castelo dos Devas. Os casos omissos a estas orientações, somente com autorização dos Trinos Presidente Triada.” (T. P. Triada, 13.9.97)
Enviar um comentário